Eleição deflagrada: Koff e Odone anunciam candidaturas à presidência

Fábio Koff e Paulo Odone tornaram pública a disputa que já era uma certeza nos bastidores do Grêmio. Em entrevista ao programa Show dos Esportes, da Rádio Gaúcha, o ex-presidente do clube confirmou que ele será o cabeça da chapa que vai desafiar o atual mandatário no processo eleitoral em 25 de setembro.

Prometendo trazer um novo modelo de gestão, Koff escancarou a sua intenção de retornar ao cargo que já ocupou duas vezes, e manifestou o desejo de receber o Tricolor na Libertadores. Minutos depois, a resposta de Odone veio com a promessa do confronto:

— Ainda não lancei a minha candidatura. Mas é claro que vou lançar. Vou tentar a reeleição — confirmou via telefone.

Koff garantiu que a decisão de concorrer à presidência foi tomada após consulta a diversos líderes políticos no clube em busca de uma liderança para conduzir o “choque de gestão” inspirado no Barcelona. Depois da negativa do presidente do conselho deliberativo, Raul Régis Freitas Lima, Koff assumiu a condição de candidato.

— Ele (Freitas Lima) não aceitou e colocou razões de natureza familiar e pessoal. Procurei as lideranças do clube e entenderam que eu poderia ser o avalista nesse momento de transição. Sou um homem devedor ao Grêmio. Não tenho pretensão de chegar ao clube e ganhar tudo que ganhei no passado — disse.

Garantindo ter confiança no trabalho do atual técnico da equipe, o ex-presidente “pediu” para que o clube esteja classificado para a disputa da próxima edição da Copa Libertadores. Apesar do prazo distante para inscrição de novas chapas, Koff garantiu que sua candidatura está baseada no projeto elaborado, e não na disputa contra outras lideranças de movimentos políticos do Grêmio.

— Não estou disputando com o nome A, B ou C. Estou querendo implantar no Grêmio em dois anos uma nova gestão no futebol brasileiro. Terei um orgulho enorme se o clube for o precursor dessas mudanças que precisam ser feitas.
— Eu acho que o momento do futebol do Grêmio é bom. Têm um técnico competente e uma concepção boa de futebol. Acho o Luxemburgo um dos três ou quatro melhores técnicos do Brasil. Por outro lado me mobilizou concorrer a presidência do Grêmio ter o time na Libertadores. Eu quero receber o Grêmio na Libertadores. Temos um plano muito arrojado, que seria muito prejudicado caso só tivéssemos só o campeonato regional — defendeu.

Clicrbs

Compartilhe: