El Niño pode estimular plantio precoce no Brasil, após clima seco

Após um mês de agosto seco, as chuvas provocadas pelo fenômeno climático El Niño podem impulsionar uma grande safra de grãos no Brasil, segundo maior produtor mundial de soja, e aliviar os temores de uma escassez de alimentos no planeta.

Após dois anos de chuvas irregulares sobre o cinturão produtor de grãos do país durante o fenômeno La Niña, o aquecimento das águas do Oceano Pacífico, associado com o El Niño, elevou as esperanças de chuvas mais estáveis e abundantes a partir de setembro.

Analistas esperam uma recuperação sem precedentes da soja no Brasil este ano, com previsões climáticas, preços, e uma taxa de câmbio favorável encorajando apostas na soja, depois da seca deixar uma safra decepcionante de 65 milhões de toneladas na temporada passada.

Menos otimista, a consultoria Céleres espera que a safra de soja do Brasil produza um recorde de 78,1 milhões de toneladas, enquanto a Safras & Mercado prevê uma safra de 82,3 milhões de toneladas. O governo começa a realizar estimativas oficiais em outubro.

“Um ano de El Niño significa chuvas acima da média no centro e sul do Brasil”, disse Flávio França Jr, analista chefe de soja da Safras. “Estamos esperando que a colheita seja muito melhor que a do ano passado, o que é provável pois o clima estava péssimo.”

Uma colheita de soja 2012/13 recorde no Brasil, especialmente uma colheita precoce, seria bem-vinda globalmente, uma vez que a seca nos Estados Unidos fez com que os preços futuros da oleaginosa subissem, trazendo lembranças da crise alimentar de 2008.

Ainda que o plantio de soja antes de 15 de setembro seja contra a lei no Brasil, onde o governo reforça medidas para conter a propagação do fungo de ferrugem, produtores tentam semear o milho em agosto, se as chuvas permitirem.

“Tivemos produtores ligando para dizer que estão semeando milho. Com as chuvas possivelmente voltando em setembro, eles estão semeando a primeira safra de milho para aproveitar as chuvas que serão constantes até novembro”, disse a meteorologista Olivia Nunes, da Somar Meteorologia.

A organização de cooperativas Ocepar, do Paraná, segundo maior estado produtor de soja, estimou que a semeadura deve começar em 21 de setembro em 40 por cento da área, disse o gerente Flávio Turra.
Portal Dia de Campo

Compartilhe: