Educação é decisiva para o aumento da competitividade brasileira

Uma pesquisa recente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) apontou a educação como o principal fator capaz de aumentar a competitividade brasileira. Foram ouvidos 275 líderes empresariais de todo o país entre 23 de novembro e 2 de dezembro de 2012.

Essa foi a primeira vez que a educação aparece em primeiro lugar num ranking de prioridades. Com nota média de 7,08, a área ficou à frente de outros quesitos, como tributação (nota 6,6), infraestrutura (6,0) e inovação (5,29).

A pesquisa confirma o consenso dos debates promovidos pela CNIcom líderes empresariais e acadêmicos para a construção do Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022. O documento, que deve ser concluído em março de 2013, mostrará qual o caminho que a indústria, o Brasil e o mundo percorrerão na próxima década.

“Com foco na competitividade do setor, o novo Mapa orientará as ações do Sistema Indústria”, afirma o diretor de Políticas e Estratégias da CNI, José Augusto Fernandes. Ele explica que, para cada objetivo do Mapa, serão apontadas as ações necessárias para que a indústria brasileira ganhe musculatura e chegue a 2022 forte, dinâmica e com elevada participação do mercado internacional.

A nova edição do documento revisará e atualizará os objetivos, metas e programas do Mapa Estratégico 2007-2015 que a CNI apresentou à sociedade em abril de 2005. O acompanhamento periódico dos indicadores do Mapa identificou os avanços e os retrocessos do país no caminho do desenvolvimento sustentado.

Agência Gestão CT&I de Notícias

Compartilhe: