Dilma demite ministra da Cultura; Marta Suplicy irá assumir

A presidente Dilma Rousseff demitiu nesta terça-feira a ministra da Cultura, Ana de Hollanda. Quem assumirá a pasta é a senadora petista Marta Suplicy. A posse será na próxima quinta-feira às 11h. Ana estava no comando do ministério desde o início do mandato de Dilma, no início de 2011, e é a 13ª a deixar o governo em 21 meses de mandato da presidente.

Por meio de nota oficial, Dilma agradeceu a Ana de Hollanda pelo “empenho e pelos relevantes serviços prestados ao País à frente da pasta desde janeiro de 2011”. No comunicado, a presidente também manifestou confiança de que Marta Suplicy, que vinha dando importante colaboração ao governo no Senado, dará prosseguimento às políticas públicas e aos projetos que estão transformando a área da Cultura nos últimos anos.

A audiência entre Dilma e Ana de Hollanda durou menos de meia hora no início da tarde desta terça-feira. Segundo a ministra Helena Chagas, Dilma já conversou com Marta após o almoço para “sacramentar” a decisão. Um sinal de que a mudança no ministério já vinha sendo costurada há mais tempo.

O anúncio de Marta à frente de um ministério acontece uma semana após o encontro de Dilma com seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. Nas últimas semanas, a presidente se encontrou duas vezes com Marta Suplicy. Desde então, a senadora passou a apoiar Fernando Haddad na corrida eleitoral pela prefeitura de São Paulo. Marta não engolia o fato de Lula ter preterido suas aspirações pela candidatura.

O nome de Ana de Hollanda apareceu em todas as listas de substituições da chamada reforma ministerial, feita a conta-gotas pela presidente entre o fim de 2011 e o início deste ano. As previsões de demissão nunca se confirmaram.

Mesmo mantendo a discrição, qualidade apreciada pela presidente, Ana de Hollanda foi alvo de denúncias em alguns deslizes. Ainda no ano passado, a ministra utilizou de maneira irregular cinco diárias por dias não trabalhados. Ela teve de devolver o valor total de R$ 2.905 aos cofres públicos. Na ocasião, Dilma enviou um dos seus principais interlocutores, o ministro da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, para tranquilizar a ministra.

Neste ano, outra polêmica. A ministra teria recebido oito camisetas do Império Serrano para que ela e amigos desfilassem pela agremiação carioca. O presente foi recebido após a pasta ter desbloqueado o CNPJ da escola. O assuntou parou na Comissão de Ética Pública da Presidência, mas o processo foi arquivado.

A última da ministra foi a redação de uma carta na qual ela reclamava do corte orçamentário em sua pasta no mês passado. A reclamação incomodou a presidente e a ministra do Planejamento, Miriam Belchior.

Terra

Compartilhe: