DIÁLOGO ESPÍRITA – Não julgueis

O Mestre Jesus nos alertou (Mateus, 7:1-2) “Não julgueis, a fim de não serdes julgados; porquanto sereis julgados conforme houverdes julgado os outros; empregar-se-á convosco a mesma medida de que vos tenhais servido para com os outros”.

Esta orientação de Jesus vai de encontro a Lei de Causa e Efeito, pois tudo o que fizermos, de bom ou ruim, retorna para nós mesmos, ou numa mesma existência ou em existência futura.

Muitas adversidades que nos alcançam na presente vida, tem sua origem na vida passada.

Ao se referirem às palavras delituosas e levianas que transmitimos ao mundo, os amigos espirituais alertam-nos para a rapidez com que elas se deflagram, constituindo-se vasta epidemia de maledicência, resultado do exagero de nos intrometermos na vida alheia.

Falar mal do semelhante, julgar, criticar, sem uma finalidade nobre, gera emissão de energias pestilentas que atingem primeiro aos que se dispõem de agir desta forma, atingindo seus próprios órgãos com vibrações doentias.

Inicialmente baixa o Sistema Imunológico e a continuar no procedimento inconsequente, com o tempo, vai se instalando uma enfermidade.

O que vamos falar é bom passar pelos três crivos. É verdadeiro? É bom? É pelo menos útil? Caso contrário, deixemos de contar.

Sociedade Espírita Raios de Luz

Compartilhe: