Detec da Cotrijal alerta para a necessidade de escalonar o plantio

NÃO ME TOQUE – Os profissionais do Departamento Técnico da Cotrijal participaram de um dia de campo sobre tecnologias em soja e novas cultivares na manhã desta quarta-feira (21). A atividade teve por objetivo atualizar conhecimentos e difundir informações que possam ser repassadas aos produtores na hora de definir estratégias para a próxima safra de verão.

A primeira parte da atividade foi realizada na área experimental da cooperativa, com a apresentação de três novas cultivares de soja, que só estarão no mercado na safra 2013/2014. “Essa apresentação já nos deixa em vantagem competitiva, no que diz respeito ao conhecimento das características desses lançamentos”, disse Fernando Martins, coordenador do Detec.

A segunda etapa foi desenvolvida na localidade de Invernadinha, interior de Não Me Toque, em área cedida por um associado da Cotrijal, sob a coordenação da Fundação Pró-Sementes. Os profissionais do Detec puderam acompanhar as características e o desempenho de 84 cultivares de soja indicadas para plantio na região, todas conduzidas da mesma forma nesse experimento. “Esse é um trabalho importante, desenvolvido em outros países por instituições públicas e universidades, e a fundação sentiu essa lacuna e apresenta aos profissionais informações do comportamento de cada variedade em uma mesma situação para tornar mais fácil sua avaliação e identificação das que apresentam melhor rendimento e outras características”, comentou João Francisco Sartori, Coordenador de Cultivos da Fundação Pró-Sementes.

As atividades foram encerradas em Carazinho com a apresentação de outros ensaios com novas cultivares de soja e a performance de um novo fungicida. Para o coordenador do Detec, Fernando Martins, a atualização foi importante e comprovou a necessidade de o produtor escalonar o plantio e investir em cultivares de ciclos diferentes para diluir riscos, especialmente em anos de estiagem. “Hoje, na sua grande maioria, as empresas produtoras de semente investem em materiais precoces, mas nós constatamos que não dá para apostar todas as fichas numa só jogada diante de um clima imprevisível como o nosso”, alertou, lembrando da importância de um adequado planejamento da lavoura. “Quem fez o plantio em épocas diferentes e usou mais de duas cultivares pode confirmar isso nesta safra”.

Compartilhe: