Curva de casos de gripe A no Estado apresenta queda

A proliferação do vírus H1N1, causador da gripe A, pode estar em fase de recuo. É o que indicam dados divulgados na segunda-feira pela Secretaria de Saúde. Por essa ótica, o pico teria acontecido há duas semanas, quando foram registradas 64 contaminações — média de nove por dia.

Na semana passada, o número caiu para 36 casos — ou cinco por dia. E do último sábado até ontem houve cinco notificações — menos de duas a cada dia, portanto.

Mas o governo do Estado evita rever o prognóstico de ápice de contaminação, originalmente previsto para meados de julho e que se baseava no histórico a partir de 2009, ano em que houve epidemia. O secretário estadual da Saúde, Ciro Simoni, não mostra surpresa diante do que seria um esmorecimento precoce da gripe A.

— Se essa tendência se confirmar, o pico seria uma semana e meia antes do dia 15 — afirma.

A curva de avanço da gripe é feita a partir de uma estatística semanal, iniciada aos sábados e finalizadas às sextas-feiras. Contando esta terça, faltam quatro dias para saber se a nova parcial manterá o viés de queda.

Ainda na segunda-feira, a Secretaria divulgou o novo placar geral de notificações da gripe A no Estado. Agora são 218 casos confirmados, com 33 mortes. São quatro novos óbitos desde a parcial de 12 de julho, quando havia 192 incidências. Porto Alegre e São Borja dividem a liderança no ranking das cidades onde houve mortes, com cinco óbitos.

Secretário estadual só soube da chegada dos técnicos na segunda-feira

Em paralelo à divulgação de novos dados sobre a gripe A, técnicos do governo do Estado mapeiam a doença caso a caso e por meio dos prontuários hospitalares de quem morreu. Esse trabalho contará com a ajuda de três epidemiologistas enviados na sexta-feira pela Secretária Nacional da Vigilância Sanitária, mas eles foram motivo de mal-entendido.

Por ruído de comunicação entre Ministério da Saúde e a secretaria estadual, só teriam começado a trabalhar na tarde de segunda-feira. Segundo o secretário nacional da Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, os técnicos passaram o fim de semana complementando atualizações técnicas.

Mas o secretário Simoni só foi avisado por Brasília do reforço ao meio-dia de ontem. Ao final da tarde, afirmou que os epidemiologistas se apresentariam ao serviço de Vigilância Sanitária do Estado.

São 300 mil unidades de Tamiflu disponíveis

Com as doses de vacina praticamente esgotadas no Estado — ontem, em Viamão, ainda foram distribuídas 5 mil doses —, a Secretaria de Saúde aposta na abundância do antiviral Tamiflu. Conforme Simoni, são cerca de 300 mil unidades de Tamiflu disponíveis, uma quantidade muito acima da demanda.

Em alguns lugares, como o posto Augusta Meneghini, na Vila Augusta, os pacientes esperaram mais de quatro horas para serem atendidos, devido à intensa procura.

Saiba mais sobre gripe A

Principais sintomas da gripe A:

– Tosse e espirros
– Fortes dores no corpo, na cabeça e na garganta
– Febre alta,acima de 38°C
– Pode haver náuseas, vômitos e diarreia
– Falta de ar

Para prevenir a contaminação, é aconselhado:

– Higienizar as mãos com frequência, principalmente após tossir ou espirrar
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal
– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca
– Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal
– Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social
– Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração
– Ventilar os ambientes.

Clicrbs

Compartilhe: