CRUZ ALTA – Seminário Estadual de Políticas Públicas discute desenvolvimento municipal e captação de recursos

Desenvolvimento urbano sustentável, o papel dos agentes políticos, captação de recursos e elaboração de projetos foram os temas do segundo e último dia do 1º Seminário Estadual de Políticas Públicas Municipais e Regionais. O evento foi promovido pela Associação das Câmaras Municipais do Alto Jacuí (Ascamaja), Universidade de Cruz Alta e União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (Uvergs).

Vereadores e gestores de diferentes municípios da região participaram na parte da manhã de dois painéis no Salão Nobre do Campus. No primeiro momento, o especialista em Gestão Pública Luiz Carlos Romani abordou “As implicações no desenvolvimento das cidades sob o enfoque do plano diretor”. Romani enfatizou a necessidade de elaborar um Plano consistente, que contemple diferentes aspectos da vida urbana.

Para o painelista, o Plano Diretor deve atender às necessidades básicas da população, qualidade de vida, preservação do meio ambiente, regularização fundiária, mobilidade urbana, desenvolvimento sustentável e outros aspectos vitais para o município. No segundo painel, o auditor público externo aposentado Edson de Oliveira Mello apresentou os “Aspectos Inerentes à conduta dos agentes políticos e nas finanças públicas”, complementando as discussões da manhã.

Durante a tarde as professoras da Unicruz, Elisabeth Fontoura Dorneles e Luísa Carpovinski Pienz, coordenaram um período de oficinas de Captação de Recursos e Elaboração de Projetos. Para as professoras, os projetos que visam a captação de recursos públicos devem ser completos, abrangendo necessidades regionais.

“Os gestores públicos devem entender que precisam de uma equipe qualificada para elaboração de projetos completos”, afirmou Luísa, que enfatizou a importância da criação de consórcios regionais e associações entre municípios para o fortalecimento de projetos que visam captação de recursos. Já a professora Elisabeth detalhou o passo a passo na elaboração de um projeto. A oficina apontou caminhos para a captação e a necessidade de articulação com a comunidade na busca de recursos adequados às necessidades, além do conhecimento do contexto social, cultural e econômico do município.

(Núcleo Integrado de Comunicação da Unicruz)

Compartilhe: