CRUZ ALTA – Polícia Civil ultrapassa número de prisões de 2013

A Polícia Civil da 5ª Região Policial de Cruz Alta, tem atuação nos municípios de Cruz Alta, Boa Vista do Incra, Boa Vista do Cadeado, Salto do Jacuí, Jacuizinho, Pejuçara, Santa Bárbara do Sul, Saldanha Marinho, Ibirubá, Quinze de Novembro, Selbach e Fortaleza dos Valos.

Diariamente, tem-se empreendido todos os esforços no sentido de cumprir a missão investigativa e trazer, à comunidade regional, a maior tranquilidade possível, no que tange à segurança pública.

Sabidamente, a atribuição da Polícia Civil é agir após o crime cometido, investigando a autoria e as circunstâncias em que ele ocorreu, já que o trabalho de policiamento, prevenção e inibição ao crime cabe à honrosa Brigada Militar.

Nos últimos três anos, tem se intensificado a realização de grandes operações pela Polícia Civil, em todo o Estado, decorrentes de profundas investigações, nos mais variados crimes, especialmente no tráfico, roubos e homicídios. Na 5ª Região Policial não foi diferente.

No ano de 2012, iniciaram as grandes operações na 5ª Região, a exemplo da “Operação Armagedon”, em Ibirubá, e outros tantos trabalhos.

Em 2013, as delegacias de polícia tinham alcançado o maior índice de prisões, nunca antes atingido pela instituição na região: foram 190 prisões no ano. O ano foi marcado pela “Operação Provas Ocultas”, que prendeu 45 pessoas em um unico dia, depois de 09 meses de investigações, no combate ao tráfico de drogas.

Em 2014, esse trabalho se intensificou, em um grande esforço de delegados e agentes. Prova disso é que no último dia 11, a Polícia Civil atingiu o número de 192 prisões, na 5ª Região Policial, ultrapassando dados de 2013, salientando que ainda restam cerca de 45 dias para o final do ano e muitas prisões ainda ocorrerão.

A resposta rápida no pós-crime, na solução dos delitos, identificação e prisão de acusados, especialmente aqueles como o tráfico, roubo e homicídios, visa demonstrar aos criminosos que a PC está atuante e a prática criminosa será sempre reprimida com efetividade.

Exemplo disso é o alto índice de solução dos homicídios em Cruz Alta e região, que atingem marcas comparáveis a países desenvolvidos.

Ressalta-se que essas prisões são aquelas que efetivamente geram recolhimento ao presídio ou, no máximo, atuação em flagrante que acarretem o pagamento de fiança. Não são computadas detenções em delitos de mero potencial ofensivo ou que não geram encaminhamento ao presídio.
Sabe-se que ainda estamos distantes de uma polícia investigativa ideal, principalmente pela falta de pessoal frente à demanda.

A solução para tal situação está sendo dada através da  realização de concursos públicos, bastante exigentes, mas o número de policiais ainda é aquém do necessário.

Independentemente disto, os Delegados e Agentes da ativa, especialmente nesta região, não tem medido esforços para buscar diariamente a paz que tanto se almeja.

Não bastassem as ações repressivas, a Polícia Civil tem atuado também em ações não-repressivas, junto à comunidade, tais como feiras, palestras em escolas, ações sociais, entre outras.

(Cristiano Alvarez – Delegado de Polícia Regional de Cruz Alta / 5ª RP)

Compartilhe: