CRUZ ALTA – Alta temperatura liga alerta para animais peçonhentos

Precauções devem ser tomadas para aproveitar o verão tranquilamente

No verão com o corpo mais exposto do que nas outras épocas do ano, não é apenas o sol que se transforma em um risco para a saúde do homem. Assim como as pessoas, os animais peçonhentos também mudam de hábitos com as temperaturas mais elevadas, aproveitando o calor para aumentar o número de vítimas.

Os riscos provocados pela picada irão depender da espécie do animal, quantidade de veneno injetado, condições de nutrição, peso e altura do indivíduo. Pessoas com histórico de rinite, asma, bronquite ou estado imunológico baixo são mais suscetíveis a uma reação forte, portanto devem ter cuidados redobrados.

Escorpiões, aranhas, abelhas, vespas e serpentes são exemplos de animais peçonhentos que causam acidentes nesta época do ano. As consequências do contato com bichos podem ser desde alergias como coceira, ardor e vermelhidão, até doenças mais graves, como Chagas.

Segundo a Enfermeira Coordenadora Vigilância em SAÚDE, Carla Ravazi para proteger o corpo dos animais peçonhentos o recomendado é manter o pátio e o jardim limpos, evitar acúmulo de lixo e colocar telas nos ralos. Além de sacudir lençóis, roupas e cobertores e olhar os sapatos antes de calçá-los. Em locais de mata fechada o ideal é proteger o corpo com botas, roupas longas, chapéus e luvas.

Em casos de acidentes é importante que o usuário seja levado para um hospital imediatamente, pois a medicação rápida e especializada ajudará no tratamento do enfermo. O medicamento indicado às vítimas é o soro. A soroterapia consiste na aplicação de um concentrado de anticorpos que irá combater o veneno do animal.

O ideal é que se identifique o animal causador do ferimento e manter o local afetado pela picada erguido. Sendo incorreto aplicar medicamentos caseiros ou por conta própria, ou tentar retirar o veneno do pacientes sem orientações médicas adequadas.

(Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Cruz Alta)

Compartilhe: