Condições climáticas ocorridas e tendências para os próximos meses

Com o enfraquecimento do fenômeno climático “La Nina”, observamos uma melhor distribuição das precipitações ocorridas no decorrer de maio, na maior parte do centro-sul do Brasil. As precipitações ainda continuaram apresentando uma distribuição um pouco irregular, mas os volumes tem aumentado gradativamente nos últimos dois meses, melhorando muito as condições de umidade no solo, favorecendo assim, o bom desenvolvimento das lavouras. Somente no sul de S.Catarina e no R.G.do Sul, as precipitações ainda continuaram muito irregulares e abaixo da média. No Paraná, as precipitações ficaram entre a média, na região centro-sul e ligeiramente acima da média no oeste do estado.

As temperaturas ficaram um pouco abaixo da média na maior parte do centro-sul do Brasil. Apesar de não terem ocorrido geadas nas áreas de milho safrinha do Paraná, foram observadas quedas acentuadas de temperaturas, no decorrer de maio, devido a entrada de massas de ar frio de forte intensidade.

O fenômeno climático “La Nina” ainda persiste, mas com fraca intensidade. A temperatura das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial mais ao leste, se mantiveram mais aquecidas que o normal, próximo a costa da América do Sul, na região central do Pacífico as águas superficiais apresentaram valores de temperatura dentro do normal, seguindo um padrão de declínio do “La Nina”, em transição para uma situação de neutralidade climática. Ainda persistem pequenas áreas com águas mais frias a oeste do Oceano Pacífico Equatorial, as quais, vem diminuindo gradativamente nos últimos meses. Os prognósticos dos modelos climáticos globais, mantém a tendência dos últimos meses, sinalizando para uma situação de neutralidade climática (nem La Nina e nem El Nino), no decorrer do outono.

A previsão para os próximos meses para o centro-sul do Brasil, baseada nas informações dos modelos climáticos, indicam que as precipitações ainda continuam com uma distribuição um pouco irregular. Apesar desta pequena irregularidade na distribuição das chuvas, os volumes voltam gradativamente aos valores médios observados para a época do ano e o intervalo entre uma chuva e outra tende a diminuir, no decorrer dos próximos meses. Com isto, umidade no solo não deve apresentar deficiência hídrica, voltando às condições normais no decorrer dos próximos meses, favorecendo o bom desenvolvimento das lavouras.

Quanto às temperaturas, continuamos ressaltando que o outono é uma estação de transição (entre o calor do verão e frio do inverno), e normalmente apresenta maior amplitude térmica, intercalando períodos um pouco mais quentes, com quedas acentuadas de temperatura, devido a incursões de massas de ar frio, que chegam com maior intensidade, à medida que nos aproximamos do inverno. Com isto, o risco de ocorrência de geada aumenta significativamente, em todas as regiões do Paraná, principalmente no centro-sul.

Agrolink

Compartilhe: