Cartão-postal mostra Hitler ávido por combate na Primeira Guerra

BERLIM – Um cartão-postal enviado por Adolf Hitler em dezembro de 1916 — durante seu serviço militar na Primeira Guerra Mundial — sugere que, mesmo ferido, o austríaco de 27 anos tinha uma vontade incomum de voltar a uma das mais sangrentas frentes de batalha da História moderna. Segundo matéria do jornal “Independent”, no documento raro foi descoberto recentemente em uma exposição itinerante em Munique, o soldado que se tornaria o Führer se dispõe a voltar imediatamente à batalha, o que não era uma prática comum mesmo entre os mais patriotas que passavam pelo front, dizem historiadores.

“Prezado Lanzhammer, estou no momento em Munique, no batalhão de reserva. Estou passando por um tratamento dentário. A propósito, eu irei me oferecer para voltar voluntariamente para o campo de batalha imediatamente. Saudações, A. Hitler”, dizia a mensagem enviada ao superior de Hitler, Karl Lanzhammer.

Thomas Weber, especialista em Primeira Guerra Mundial da Universidade de Aberdeen defende que Hitler não gostava de ficar longe da frente de batalha, onde a guerra era cada vez mais criticada. Segundo o historiador, o soldado havia desenvolvido laços de amizade mais fortes com seus companheiros de batalha do que com familiares e conhecidos em Munique.

— O que está claro é que Hitler queria desesperadamente retornar ao front, o que é bastante incomum, mesmo para soldados que desejavam lutar na guerra e pela causa germânica — afirma o historiador. — Em 1916, se os soldados estivessem de licença em casa, eles tentavam ficar o máximo possível, enquanto Hitler queria muito voltar ao front.

Ainda segundo o especialista, Hitler sequer entrava em contato com a família e com amigos de antes da guerra durante seu serviço militar.

Menos incomuns eram os erros ortográficos cometidos pelo futuro führer, que na mensagem escreveu a palavra alemã sofort — que significa “imediatamente” — com duas letras “f”. De acordo com Weber, tais incorreções eram comuns entre soldados de sua hierarquia.

O Globo

Compartilhe: