CARAZINHO – Oito profissionais da Saúde são os primeiros a receber a vacina contra a Covid-19

Ato que deu início à imunização no município ocorreu nesta tarde (20), no HCC

A secretaria da Saúde de Carazinho deu início na tarde desta quarta-feira (20) à vacinação contra Covid-19. O município recebeu 905 na primeira remessa através da 6ª Coordenadoria Regional de Saúde. Os primeiros grupos prioritários são profissionais da saúde na linha de frente de combate e idosos institucionalizados. A expectativa da secretaria da Saúde é receber mais doses com o passar das semanas, conforme elas forem sendo enviadas pelo Ministério da Saúde.

O ato que deu início à vacinação ocorreu no salão nobre do Hospital de Caridade de Carazinho, na presença de várias personalidades políticas, ligadas à área da saúde e representantes do Ministério Público. Acompanharam a imunização, o prefeito Milton Schmitz, a vice-prefeita Valéska Walber, o presidente do Legislativo Tenente Costa, o promotor de Justiça Paulo Estevam Araújo, a secretária da Saúde Anelise Almeida, e o presidente do HCC Jocélio Cunha.
Oito pessoas, todas profissionais da saúde e atuando diretamente no combate à pandemia, foram os primeiros a receberam a vacina da Coronavac. Em 21 dias eles receberão a segunda dose para então estarem completamente imunizados.

O primeiro a receber a vacina foi o coordenador do SAMU, Cleverson Metzdorf, enfermeiro intervencionista no serviço há nove anos. Depois foi a vez de Darlan Lara, diretor clínico do HCC, médico intensivista da UTI e que atua na UTI Covid. Atua no HCC desde novembro de 1993 e na UTI desde 1 de novembro de 1994. Em seguida, recebeu a vacina, a médica Luana Pretto Dias, que atende na Tenda Covid da UPA. O quarto a se imunizar foi o médico da unidade de saúde do bairro Sommer, Márcio Dacroce, representando os médicos da atenção básica, com 20 anos de atuação.

Em seguida foi a vez da enfreneira Iara Oliveira Pimentel, enfermeira da UTI Covid e Unidade de Isolamento Covid, com 23 anos de atuação no hospital. Também recebeu a primeira dose, o técnico de enfermagem da UTI COVID, Luís Antônio Oliveira dos Santos. Ele também atua na Unidade de Isolamento Covid, no laboratório municipal e na Vigilância Epidemiológica.

A enfermeira Chari Francielli Bandeira, lotada na Tenda Covid da UPA e do HCC, foi imunizada em seguida. Por fim, foi a vez de Carina Aline Cardoso, funcionária do HCC há seis anos. Atualmente trabalha na emergência do hospital e foi uma das primeiras a fazer a higienização da Unidade Covid.

O médico Darlan Lara discursou em nome dos profissionais imunizados. Ele ressaltou a importância do momento e lembrou o sacrifício de quem está na linha de frente.

“O sentimento que eu queria traduzir hoje é reconhecimento e gratidão a todos os profissionais que, todos os dias, saem de casa vestindo sua armadura e ido à luta. A maioria das pessoas não fazem ideia do que é vestir toda aquela paramentação. Quando saímos da unidade Covid tomamos banho de clorexidina (substância com ação antimicrobiana, eficaz no controle da proliferação de bactérias na pele e mucosas, sendo um produto muito utilizado como antisséptico na prevenção de infecções), da cabeça aos pés. A pele fica seca e descasca. Ninguém vê isso. Ninguém vê a tristeza do teu colega quando o paciente piora. É diferente do atendimento ambulatorial. Vivenciar uma Unidade Covid é algo que a maioria de nós não fazia ideia do que significa”, disse ele, ressaltando a importância da saúde mental dos profissionais. “Tem paciente que chega andando, com um pouco de falta de ar. Chega o momento que ele pede a colocação do tubo. É desesperador perder alguém”, colocou.

Ele lembrou que a pandemia já mobilizava os profissionais da saúde antes do carnaval de 2020, antes do Brasil registrar os primeiros casos.

“Chegamos aqui (momento da vacinação) com muitos arranhões, com perdas, mas muito mais fortes do que começamos essa história. Essa força vem daqueles que cerraram fileiras ao nosso lado. Todas as instâncias são importantes”, observou.

Diário da Manhã

Compartilhe: