CARAZINHO – Mais de 10 mil pessoas passaram pelo monitoramento da Covid-19

Sistema da secretaria da Saúde completou 10 meses no início do mês e é apontado como um dos pilares do bom resultado que o Município tem alcançado na tentativa de minimizar o avanço da doença

No dia 6 de janeiro de 2021, a Central de Monitoramento de COVID completou 10 meses em Carazinho. Neste período, até o dia 13 de janeiro, foram acompanhados 10.872 pacientes que apresentaram sintomas gripais e foram isolados. Deste total, 3.128 mil tiveram resultado Positivo para COVID, 363 necessitaram de internação hospitalar e infelizmente 43 foram a óbito.

A enfermeira Denise Dal Ri Braun, coordenadora da Atenção Básica e Responsável pela Central de Monitoramento, contou que a Central iniciou com apenas três profissionais alocadas das Unidades de Saúde e hoje conta com o apoio de funcionários de diversos setores da Secretaria de Saúde, totalizando 24 profissionais. Destes, somente cinco são exclusivos da Central de Monitoramento, os demais se distribuem entre suas tarefas diárias e o monitoramento de pacientes.

“É louvável todo o empenho, carinho e dedicação com que realizam este trabalho que é de extrema importância pois, através de ligações telefônicas, os pacientes que entram em monitoramento podem esclarecer suas dúvidas e recebem orientações quanto a cuidados, isolamento, medicações e sintomas mais frequentes para que fiquem atentos e em caso de piora busquem reavaliação médica imediata, além de ser verificado como estão seus familiares. Havendo necessidade, é solicitado apoio na Unidade de Saúde para a realização de visita domiciliar e verificação da situação de saúde do paciente”, detalhou Denise.

De acordo com a profissional, quando o paciente recebe resultado Positivo para COVID, uma equipe dá seguimento ao monitoramento e verifica seus contatos familiares para realização de testes e avaliação médica se necessário.

Participação da Vigilância Epidemiológica
Atuando em conjunto com a Central de Monitoramento, a Vigilância Epidemiológica, que tem como responsável a enfermeira Fernanda Spagnollo, possui uma equipe formada por cinco profissionais que atuam diariamente nesse setor, desenvolvendo funções como recebimento de todas as coletas de exames RT-PCR realizada nos serviços UPA e HCC, cadastramento nos sistemas do Ministério da Saúde, envio das amostras ao laboratório para análise, através do Setor de Transporte da Secretaria de Saúde, conferência de resultados, comunicação de resultados aos pacientes, digitação de testes rápidos para COVID-19, recebimento e conferência de testes positivos e negativos realizado pelos laboratórios privados e farmácia, e digitação de notificação de pacientes internados na ala COVID do HCC no sistema do Ministério da Saúde.

Vigilância sanitária
A enfermeira esclarece que a Vigilância Sanitária atua no momento em que a Central de Monitoramento não consegue contato com a pessoa suspeita ou caso positivo. Os fiscais se deslocam até o endereço do paciente a fim de verificar se os ele está cumprindo o isolamento, assim como orientá-lo da importância de manter o isolamento e atualizar os dados, como número de telefone. Dessa forma, posteriormente é comunicado a Central de Monitoramento sobre a situação e os dados atualizados, e a mesma pode dar continuidade no monitoramento.

Mobilização precoce
Denise recorda que bem antes dos primeiros casos serem registrados, a secretaria da Saúde já se mobilizava para o enfrentamento da Covid-19. Ainda em fevereiro ocorreram as primeiras reuniões para o planejamento de estratégias para o enfrentamento da doença. Desde então existe um grande engajamento da prefeitura, da secretaria, das unidades de saúde, da UPA e do HCC. Outros segmentos foram incrementando a rede, com a formação do Comitê Municipal.

Um dos integrantes do comitê é o Promotor de Justiça, Paulo Estevam Araújo. Nesta semana, ele avaliou o papel do monitoramento de pacientes para coibir o rápido avanço da Covid-19 no município. “Entendo que a atenção prestada à nossa população na pandemia está em grau plenamente satisfatória, especialmente pelos resultados que são obtidos. Nestes 10 meses de monitoramento, o trabalhado desta equipe tem uma importância muito grande. É um dos eixos do bom resultado obtido pelo município, especialmente por causa da orientação, permitindo às pessoas conhecimento acerca dos cuidados que devem ser tomados, conscientizando sobre a necessidade de isolamento e encaminhando para atendimento quando necessário”, declarou para a Rádio Diário AM 780.

Apoio de profissionais experientes
Denise citou que foi fundamental para a organização da Central de Monitoramento o apoio e motivação da Secretária de Saúde Anelise Almeida, “que sempre se empenhou ao máximo para que não faltassem profissionais, EPIs, testes e medicações e que implantou um sistema de prontuário eletrônico que conta com uma plataforma virtual para COVID, que possibilita todo este acompanhamento”.

Outro ponto de extrema importância, segundo a enfermeira, é a troca de experiências, discussões de casos e o suporte recebido de médicos experientes do município como Wernher e Lúcia Schwambach, Luiz Gustavo Espanhol, Darlan Lara e Sílvia Senger, que prontamente sempre esclareceram as inúmeras dúvidas que surgiram quanto a sintomas, tratamento, realização e interpretação de testes e orientações aos pacientes.

“E que até o momento estão incansáveis, nos auxiliando a qualquer hora. Foi um ano de muito aprendizado com estes nobres colegas e também de muita dor a cada perda que tivemos. Pois acompanhamos cada paciente como se fosse um membro de nossa família”, ressaltou.

Diário da Manhã

Compartilhe: