CARAZINHO – Eletrocar busca alternativas para amortizar dívida milionária

Postado em 05 maio 2017 06:45 por jeacontece
15.292.411/0001-75

Além da venda das PCHs, cujo montante deverá ser pago à vista nesta sexta-feira, direção da empresa conseguiu o reparcelamento dos débitos de ICMS. Presidente revela que outras medidas deverão ser tomadas, como a redução no quadro de funcionários e a venda de outras áreas

Após concretizar em leilão a vendas das PCHs Mata-Cobra e Colorado, a Eletrocar deu mais um importante passo para poder melhorar sua situação financeira e amortizar a dívida de aproximadamente R$ 67 milhões que atualmente inviabiliza qualquer tipo de investimento. De acordo com o presidente Rafael Sant’Anna de Moraes foi conquistado o reparcelamento do ICMS de um montante que daria cerca de R$ 2,5 milhões por mês, reduzindo para aproximadamente R$ 327 mil, para pagamentos em 120/60 meses. “As parcelas de 120 meses são referentes a débitos de junho de 2016 para trás e as de 60 meses entrou nos débitos de junho de 2016 até o mês passado. Além do ICMS, também há dívidas principalmente com instituições financeiras”, esclarece.

O presidente da concessionária destaca que já foi encaminhado um ofício para todas as instituições financeiras, demonstrando interesse da Eletrocar na quitação dos empréstimos, e a possibilidade de redução dessas dívidas em caso de pagamento à vista. Em relação à venda das PCHs, Sant’Anna confirma que nesta sexta-feira (5) deverá ser assinado o contrato e o pagamento será à vista dos R$ 20,4 milhões referentes às duas usinas arrematadas pela empresa Libraga Brandão, de Santa Maria.

“Com esse montante poderemos ter um maior poder de barganha para ir até as instituições financeiras onde somos devedor e buscarmos a possibilidade de redução desses valores, inclusive das taxas de juros, para quitação das pendências”, pondera.

Dentro desse montante de aproximadamente R$ 67 milhões, a dívida com ICMS é de pouco mais de R$ 21 milhões, que agora foram reparcelados e serão pagos em longo prazo. “Investimentos, infelizmente não temos capacidade ainda, porque vamos priorizar a quitação desses débitos. A realidade é que hoje a Eletrocar não tem nenhum poder de endividamento. Se recorrermos a uma instituição financeira, ela vai avaliar o histórico e ver que além de dívidas não temos um valor a título de capital de giro, por exemplo. Então, temos que quitar e retomar essa capacidade. Até estamos pensando na possibilidade de fazer um empréstimo de um valor geral e colocar tudo em um bolo só, para terminarmos de vez com essa dívida”, enfatiza.

REDUÇÃO NO QUADRO DE FUNCIONÁRIOS E VENDA DE OUTRAS ÁREAS
O presidente da Eletrocar ressalta que serão necessárias outras medidas para poder recuperar a situação financeira da empresa. “É preciso dar uma enxugada na folha de pagamento, onde há inclusive vários aposentados. Infelizmente vai ter que ocorrer uma redução no quadro de funcionários. A gente se desfez de dois patrimônios da empresa e não podemos chegar no ano que vem na mesma situação que nos encontramos atualmente. Alguma coisa precisa ser feita e só não havia ocorrido até hoje, porque estávamos engessados, não conseguíamos ir para lado algum, estávamos na dependência dessa venda das PCHs. Agora a gente vai conseguir respirar e começar a andar novamente”, prevê o presidente, adiantando que a empresa também tem interesse de se desfazer de outras áreas, o que será devidamente avaliado em conjunto com o prefeito Milton Schmitz.

Diário da Manhã

Postado em 05 maio 2017 06:45 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


TAPERA TEMPO

Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop