Capim sudão, alternativa barata no complemento alimentar do gado

Produtores da região, preocupados em melhorar os resultados na produção de leite ou engorda do gado para fins de corte, buscam alternativas viáveis em pastagens que ofereçam ao rebanho alimentação com baixo custo e boa aceitabilidade.

Uma cultivar tem se destacado na preferência dos agropecuaristas: o capim sudão (sorghun sudanense). Uma forrageira rústica, portanto, tolerante as estiagens, de rápido crescimento e fácil manejo.

O produtor Leandro Kempf de Linha Kronenthal, Lagoa dos Três Cantos é um exemplo desta tendência no manejo alimentar dos bovinos. Dos 46ha que a família possui, ½ foi reservado ao cultivo do capim sudão, semeado logo após a retirada de aveia. A cultivar foi implantada em meados de novembro e em janeiro já tinha tamanho para o primeiro corte.

O plantio foi realizado com plantadeira de verão usando um disco para semeadura de sorgo, colocando em média 20 grãos por metro linear e 40cm entre as linhas, com 100kg de adubação convencional. O resultado é uma planta com mais de 2m de altura, rica em massa verde que é retirada da lavoura usando máquina ensiladeira e colocada direto no coxo, tendo como complemento ração concentrada e sal mineral. O diferencial, segundo o produtor é o bom desenvolvimento dos animais com significativo ganho de peso. Até poucos dias atrás, o rebanho da família Kempf era de 70 cabeças, 50% foram comercializadas e o restante está em avançado processo de engorda. A medida que o gado é comercializado, outros novilhos começam o processo de engorda.

A propriedade da família Kempf é bem diversificada. Além da criação de gado, plantio de soja e milho, há também um açude especialmente dedicado à criação de peixes.

O Grupo Pozza é parceiro, oferecendo as sementes das cultivares alternativas, como o capim sudão que é um grande aliado na produção de carne bovina na referida propriedade.

Paulo Santos
Jornalista

Compartilhe: