Brigada Militar apela a clubes para que ajudem a bancar custos de policiais nos estádios

Custo anual da corporação com a colocação de soldados em estádios gira entre R$ 7 milhões e R$ 8 milhões

A Brigada Militar quer dividir com os clubes os custos da atuação de brigadianos nos estádios em dias de jogos.

Uma planilha com o levantamento desses gastos será elaborada até o final do mês e encaminhada à Federação Gaúcha de Futebol, que convocará os clubes para negociar a divisão proporcional entre eles.

Conforme o comandante-geral da BM, coronel Fábio Duarte, o custo anual da corporação com a colocação de brigadianos em estádios gira entre R$ 7 milhões e R$ 8 milhões. Com esse valor, diz ele, seria possível adquirir 35 viaturas ou até mesmo um helicóptero.

A BM também alega que, ao deslocar policiais para estádios, deixa desguarnecidos outros pontos da cidade.

— Estamos abertos a negociações. Só não queremos que a Brigada seja prejudicada — afirma o comandante.

Representante do Inter em reunião realizada com a BM e o secretário estadual de Segurança, Airton Michels, o vice de administração José Alfredo Amarante afirmou que o clube está disposto a colaborar.

Nestor Hein, vice-presidente do Grêmio, surpreendeu ao dizer que o tema da divisão de custos não havia sido debatido na reunião.

Os presidentes Giovani Luigi, do Inter, e Fábio Koff, do Grêmio, saíram do encontro sem dar declarações.

(Clicrbs)

Compartilhe: