AUTISMO E EGOÍSMO (Diálogo Espírita)

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima em setenta milhões de portadores do autismo no mundo.

A Psiquiatria ainda estuda as razões do comportamento do autista, havendo muita divergência e novos descobrimentos a respeito.

Na obra “Deficiente Físico e Mental, por que fui um?” nos relata o caso de Daniela, portadora do autismo, dependente da ajuda em todas as suas ações, sendo a natação a única que praticava por conta própria.

Viveu até aos quarenta e seis anos e já na Espiritualidade, praticamente recuperada e com a ajuda do Instrutor Espiritual Antônio Carlos, relatou a causa de seu problema, ligado à sua reencarnação anterior.

Fora homem, casado, machista, desprezava sua mulher, julgando-as inferiores e que estavam no mundo somente para servir os homens. Era extremamente egoísta, avarento, amontoando riquezas e quando sua mulher ficou doente não comprou remédio para a sua cura, vindo a falecer.

Os Espíritos Superiores informam que reencarnamos tanto como homens como também como mulheres, para passar pelas duas experiências necessárias para o nosso progresso intelectomoral.

Quando o machista retornou à Pátria Espiritual, sua consciência o levou ao remorso pelas ações comprometedoras realizadas e pelo sentimento de culpa se recolheu dentro de si mesmo, como autista e solicitou a volta como mulher para combater o machismo dentro de si.

Muitas de nossas sequelas trazemos por atos infelizes praticados na vida anterior, impressa no Corpo Espiritual que sobrevive e que serve de Modelo Organizador Biológico do novo corpo físico.

Da mesma forma, nossas atitudes na vida presente ficarão registradas no Corpo Espiritual e servirão de bons ou maus registros na próxima existência.
Nós somos herdeiros de nós mesmos.

(Sociedade Espírita Raios de Luz de Tapera)

Compartilhe: