Aspirina diminui chance de morte por câncer de intestino

Uma nova pesquisa divulgada esta semana reforça as evidências sobre os benefícios da aspirina no tratamento de diversas doenças. Cientistas holandeses realizaram testes com pacientes com câncer de intestino e descobriram que as pessoas que tomaram 80mg diários do medicamento – dose considerada baixa – por pelo menos nove meses eram 30% menos propensas a morrer durante um período de acompanhamento de três anos e meio.

OUTROS RESULTADOS:
O efeito se mostrou ainda mais potente para os pacientes diagnosticados com câncer de cólon, ao contrário do câncer de reto, diminuindo em 39% a chance de morte. O estudo, no qual pesquisadores holandeses avaliaram ao menos 4500 pacientes com câncer de intestino, reforça um outro trabalho britânico publicado no início deste ano que descobriu que a aspirina não apenas previne o desenvolvimento de uma série de cânceres, mas também evita que eles se espalhem para outros órgãos. O trabalho holandês foi publicado no “British Journal of Cancer“.

– Nossas descobertas podem ter implicações clínicas profundas. Neste estudo, mostramos o efeito terapêutico de uma droga amplamente disponível e barata. É possível que as pessoas mais velhas tenham outros problemas de saúde que indicam que não estão bem o suficiente para passar pela quimioterapia – comentou Gerrit-Jan Liefers, do Centro Médico da Universidade Leiden, na Holanda.

O Globo

Compartilhe: