As gafes olímpicas de Ana Paula Padrão e Mylena Ciribelli na Record

Postado em 31 julho 2012 09:44 por jeacontece
15.292.411/0001-75

A cobertura olímpica da Record, que pela primeira vez transmite o evento esportivo com exclusividade para a TV aberta brasileira, está sendo motivo para produção de matérias e análises de críticos de televisão. Com outros veículos observando a emissora, erros cometidos por jornalistas durante a apresentação de alguma atração relacionada aos jogos – mesmo que o equívoco não tenha durado sequer um segundo – são eternizados em textos.

A interessante análise está sendo feita pelo site Comunique-se, em matéria assinada pelo jornalista Andeson Scardoelli.

* Durante a cerimônia de abertura das Olimpíadas de Londres, realizada na tarde de sexta-feira (27), Ana Paula Padrão afirmou que os telespectadores estavam acompanhando o ‘Jornal da Globo’. Na sequência, ela disse o nome correto de sua emissora.

* À Folha de São Paulo, o diretor de comunicação da Record, Celso Teixeira, minimizou a gafe, salientando que “o caso foi comum, pois a jornalista trabalhou na Globo”. Entretanto, Uol, O Globo e Jornal do Brasil destacaram o erro.

* Mylena Ciribelli, que também está em Londres, cometeu outra gafe, ao soltar um palavrão. “Fala no microfone, porra”, disse, em áudio que certamente não deveria ter sido vazado. A afirmação foi ao ar durante o segundo jogo da seleção brasileira feminina de futebol.

A palavra de baixo calão fez Mylena ser personagem de reportagens. O Yahoo afirmou que, pela“imaturidade” da Record nesse tipo de cobertura, “os erros são inevitáveis”.

Naturalmente são equívocos toleráveis – completa o Espaço Vital. Quem já não viu, por exemplo, nos Jornal Nacional, um repórter dizer que “o Ministério Público condenou fulano”, ou que “o juiz deu parecer favorável?”…

Espaço Vital

Postado em 31 julho 2012 09:44 por jeacontece
15.292.411/0001-75

NOTÍCIAS RELACIONADAS


Desenvolvido com 💜 por Life is a Loop