ARTIGO – Aposte sua ficha e jogue limpo

Mais uma vez as conversas do povo se voltam para políticos, candidaturas, partidos e coligações, mas por que tanta atenção agora? Durante quatro anos de mandato os governantes não eram citados em conversas e nem conhecidos pela maioria, passavam despercebidos muitas vezes quando freqüentavam lugares públicos, mas agora sua presença é notada e comentada por todos indiferente da idade, classe social ou opinião política.

O que proponho é que as pessoas reflitam sobre o que acontece durante um ano eleitoral, no qual amizades são esquecidas e a desconfiança assola a sociedade. Por que antes todos conversavam normalmente, se cumprimentavam e agiam como se só mais um dia estivesse acontecendo. É chegar um ano de eleição que pessoas primeiro pensam de qual partido é fulano, para depois cumprimentá-lo e quem sabe ter uma breve conversa, sobre política, diga-se de passagem se até o ano passado isso acontecia por uma questão de boa educação? O que o ano eleitoral tem que os demais não têm? Por que tanta desconfiança, desafetos e críticas a uma administração que durante quatro anos nem sequer passava por discussões em rodas de amigo, ou conversas de banco. É mais do que na hora de deixar de sermos hipócritas conosco mesmos e agir e pensar de uma forma diferente! Para um país que se diz em pleno progresso, para um povo que se vangloria pela forte presença no mercado externo e pela importância do Brasil no exterior a política deveria ser tratada com mais respeito. Em 2012 as eleições são para Prefeitos e Vereadores municipais, a ponta da flecha em um governo! Se os temas políticos municipais não recebem a devida atenção, a outra ponta que é o Governo Federal não trabalha direito, não tem os rumos que devem tomar para atender necessidades.

No Brasil existem 30 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas isso não significa que a vida política exista somente para os integrantes destes 30 partidos. Existe vida política fora dos partidos, e é essa vida política que nós exercemos, nos posicionando em relação a decisões dos governos, economia, saúde, educação e demais assuntos e problemas da sociedade atual. O que eu quero dizer é que não é só em ano de pleito que devemos opinar, reclamar, defender ou elogiar! Digo isso por que é o que mais acontece nessa época. A vida política fora dos partidos é exercida por nós eleitores! Verdadeiros donos do poder que elegemos um representante para ser nossa ponte de ligação entre a sociedade civil e os governos. Caros leitores usem o seu poder a favor de nós! Cidadãos de bem que querem que os nossos representantes sejam dignos do voto de confiança que receberam. Portanto faça valer o seu voto, o seu poder e a sua confiança cobrando os nossos representantes junto ao governo. Prefeitos e Vereadores assumem um compromisso de quatro anos conosco ao serem eleitos, portanto no dia sete de outubro pense bem em quem vais depositar a sua confiança, mas faça você a escolha de em quem votar, não ao contrário onde quem vai receber o voto, escolhe quem vai ser o eleitor. E o principal, não esqueça o nome do seu candidato, para que durante os quatro anos de mandato você possa exercer sua vida política sabendo que a sua escolha está trabalhando com ficha limpa.

Jaques Petry – Acadêmico de Jornalismo da Universidade de Passo Fundo

Compartilhe: