Apelo de irmão de Rafael Winkes não foi suficiente para mãe contar a verdade a polícia

A decisão da justiça de Planalto em tornar Alexandra Duogokenski ré por quatro crimes, trouxe à tona o pedido do filho mais velho para que a mãe contasse a verdade sobre o que, de fato, aconteceu no dia em que o garoto de 11 anos foi morto.

O adolescente de 16 anos conversou com a mãe no dia 26 de junho na delegacia do município de Planalto, data em que houve a reprodução simulada do crime.

Naquela oportunidade o namorado de Alexandra também conversou com a ré e alertou que ela “iria se afundar mais” se não dissesse aos policiais o que fez com o filho.

Os diálogos estão transcritos na decisão da justiça, tornada pública na última segunda-feira.

“Não pela justiça de Deus, mãe! Mãe, tem que falar a verdade, por favor! Por mim e pelo Rafa, mãe!” Disse o irmão mais velho de Rafael.

Naquela oportunidade Alexandra ainda tentou convencer o filho e o namorado de que não tinha culpa e ainda imputou o crime ao seu irmão e ao pai de Rafael.

Durante a reprodução simulada, Alexandra tentou convencer os policiais de que o menino havia morrido devido ao medicamento que ela havia ministrado a criança, porém posteriormente, laudos de perícias realizadas pelo IGP demonstraram que a quantidade de medicamento seria insuficiente para matar a criança.

Alexandra decidiu mudar a versão somente nove dias depois de ter conversado com o filho e o namorado.

Alexandra responderá por homicídio quadruplamente qualificado, ocultação de cadáver, falsidade ideológica e fraude processual.

Atualmente ela encontra-se hospitalizada da região metropolitana. após receber alta ela será remanejada para o presídio feminino de Guaíba onde está presa preventivamente.

Rádio Uirapuru

Compartilhe: