Anvisa proíbe venda de remédios anti-inflamatório, antibiótico, analgésico e contra a impotência

Medidas preveem a suspensão da distribuição, comercialização e uso de quatro medicamentos. Um deles não tinha registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 14 de janeiro, novas determinações em relação a quatro medicamentos que estavam sendo comercializados no país.

Um deles era vendido por meio de um site que se apresenta como “vendedor de remédios de qualidade e originais para o tratamento da disfunção erétil no Brasil”. O remédio Tadapox, que tem em sua composição o ativo dapoxetina, incluído entre as substâncias sujeitas a controle especial da Anvisa, não tem registro no órgão.

Ficou determinada a suspensão da importação, distribuição, comercialização euso do Tadapox e da divulgação tanto pelo site citado quanto por qualquer outro meio de comunicação. Além disso, deve ser apreendido e inutilizado todo o estoqueexistente no mercado.

Foram suspensas, ainda, a distribuição, comercialização e uso de determinados lotes de medicamentos produzidos em desacordo com o registro aprovado na Anvisa pela empresa Prati Donaduzzi & Cia Ltda. Tratam-se de anti-inflamatório, antibiótico e analgésico.

Segundo a agência, o laboratório implementou alterações nos processos de produção dos produtos antes da avaliação da Anvisa.

Confira quais são os remédios que devem ter a venda suspensa:
– Diclofenaco Sódico 50mg comprimido revestido (lotes produzidos até 19/10/2015 em desacordo com o registro).
– Estolato de Eritromicina 50mg/ml suspensão oral (todos os lotes válidos produzidos em desacordo com o registro).
– Nimesulida 50mg/ml suspensão oral (todos os lotes válidos produzidos em desacordo com o registro).
Além disso, a empresa deve recolher o estoque desses medicamentos existente no mercado.