Ano foi marcado por grandes dificuldades para moinhos brasileiros

“O ano de 2015 foi marcado pela grande dificuldade dos moinhos, que viram engessados os preços de seu principal produto, as farinhas, enquanto os custos subiam astronomicamente”. A afirmação é do analista sênior da Consultoria Trigo & Farinhas, Luiz Carlos Pacheco.

Os preços da farinha comum caíram 12,24%, enquanto os da farinha inteira caíram 5% nos últimos 12 anos. Por outro lado, a principal matéria-prima – o trigo doméstico – subiu nada menos que 31,53% no mesmo período, segundo estatística do Cepea. A farinha de panificação, por sua vez, caiu 2,5%, enquanto a sua principal matéria prima, o trigo pão, subiu 32,70%.

“Além disso – e não menos acentuados – subiram os custos dos demais insumos para a produção e comercialização das farinhas. Os combustíveis subiram mais de 47%, os salários subiram 11%, a energia subiu 53%. E o dólar (para os trigos importados) subiu 48,49% em 2015”, ressalta Pacheco.

“Por outro lado, a deterioração da economia provocou perdas de mais de 1,6 milhão de empregos e meteu medo nos restantes empregados, que passaram a reduzir as suas compras, reduzindo a demanda em praticamente todos os setores da economia, mas afetou mais fortemente o setor de bolachas e biscoitos, produtos considerados supérfluos no Brasil e que foram os primeiros a serem cortados dos gastos da população”, analisa o especialista.

Segundo ele, “a redução neste setor chegou a 25% no ano, repercutindo diretamente na redução da moagem (25% para a moagem de trigo doméstico e 5% para a moagem de trigo pão, cuja demanda caiu bem menos porque o pãozinho do café da manhã é considerado ítem essencial na alimentação do brasileiro). Vemos que a situação do trigo está intimamente vinculada à saúde da economia nacional que, deverá ter ainda mais problemas nos próximos anos”.

(Agrolink)

Compartilhe: