Anatel começa a medir qualidade da banda larga fixa e móvel

Teve início na última quinta-feira (01), a medição da qualidade dos serviços de banda larga móvel e fixa. O programa da Agência Nacional de Telecomunicações foi anunciado em agosto e, desde então, busca reunir 12 mil voluntários para participar da aferição.

Com o plano, a Anatel fixa metas de entrega da velocidade. A partir de hoje, as operadoras deverão oferecer ao menos 20% da transmissão instantânea contratada e 60% no desempenho médio da velocidade.

Os índices crescem com o tempo. Em novembro de 2013, as empresas serão obrigadas a entregar o mínimo de 30% por transmissão e média de 70%. Um ano depois, a cobrança sobe para 40% e 80%, respectivamente. Estas determinações valem para banda larga fixa. No caso da banda larga móvel, a taxa de queda do acesso deve ser inferior a 5% no mês.

O Rio de Janeiro é a primeira Unidade da Federação a participar das medições da qualidade da banda larga móvel. A partir de hoje, as conexões à internet prestadas por meio do Serviço Móvel Pessoal (SMP) serão avaliadas por equipamentos distribuídos em diversos pontos do Estado.

Segundo o plano amostral elaborado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Rio de Janeiro contará com 137 medidores. No Estado foi realizado, entre agosto e setembro de 2012, teste-piloto das medições, razão pela qual a implementação do projeto terá início nessa Unidade da Federação. Gradativamente, outros estados receberão os equipamentos; até junho de 2013, eles estarão em todo o Brasil.

O cronograma para implementação do projeto está em fase de conclusão na Anatel. As medições incluirão as operadoras Vivo, Oi, Claro, Tim, Algar (CTBC) e Sercomtel. Em todo o País, serão instalados 3,8 mil medidores, número que poderá ser ampliado durante as avaliações do projeto.

Até o final deste mês, os usuários de banda larga móvel poderão medir a qualidade do serviço em seus computadores ou smartphones a partir de um programa disponível neste endereço. Bastará acessar a página e fazer a verificação – que funcionará de forma bastante semelhante à disponível, no mesmo site, para as conexões de banda larga fixa. Versões do programa também estarão disponíveis para instalação nas plataformas Android e iOS (iPhone).

Banda larga fixa
As medições da qualidade da banda larga fixa serão feitas por meio de um equipamento medidor – batizado de whitebox – instalado nas conexões de voluntários. Para participar do projeto, basta fazer a inscrição por meio deste site e seguir as orientações que serão encaminhadas, por e-mail, pela Entidade Aferidora da Qualidade (EAQ). Cada voluntário selecionado terá acesso a relatório com dados relativos à qualidade do serviço em sua residência ou empresa. Em todo o Brasil, serão selecionados até 12 mil voluntários.

Até o início desta semana, haviam sido enviados medidores para voluntários selecionados em onze Unidades da Federação: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Pernambuco, Ceará, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Na banda larga fixa, as medições avaliarão as prestadoras do Serviço de Comunicação Multimídia com mais de 50 mil acessos: Oi, NET, Telefônica/Vivo, GVT, Algar (CTBC), Embratel, Sercomtel e Cabo Telecom. Funcionários das empresas analisadas não poderão participar do projeto.

Entenda o processo
As medições da qualidade da banda larga – fixa e móvel – serão feitas em cumprimento às resoluções 574/2011 e 575/2011 da Anatel e os primeiros resultados devem ser divulgados pela Agência em dezembro deste ano. A partir desses dados, a Anatel reunirá informações para a adoção de medidas que permitam a progressiva melhoria do serviço.

A metodologia e os procedimentos referentes às medições foram definidos pelo Grupo de Implantação de Processos de Aferição da Qualidade (GIPAQ), grupo de trabalho coordenado pela Anatel com participação de representantes das prestadoras, da Entidade Aferidora da Qualidade e de entidades convidadas, como o CGI.Br e o Inmetro.

Na banda larga fixa, serão monitorados indicadores como velocidades de upload e de download, latência, variação da latência (ou jitter) e perda de pacotes; na banda larga móvel, serão medidas as taxas de velocidade média e instantânea.

Olhar Digital

Compartilhe: