Agricultura de precisão ajuda a aumentar a produtividade no campo

Mais de dois terços da água potável do mundo são consumidos pela agricultura, mas a tecnologia utilizada no campo está ajudando a mudar este cenário. Com a agricultura de precisão, é possível mapear o terreno, identificar as necessidades específicas de cada unidade de área, e, assim, evitar o desperdício de fertilizantes e recursos naturais, como a água. As novas tecnologias aumentam a precisão do espaçamento entre as sementes, conferem se o grão realmente foi plantado, além de identificar peculiaridades nas características de cada trecho da plantação. Os agricultores já estão atentos a essas novidades e sabem que elas podem mudar para melhor a realidade do campo.

“A agricultura de precisão prima por gerenciar as lavouras, considerando que elas não são uniformes, nem no tempo, nem no espaço”, afirma o especialista em agricultura de precisão José Paulo Molin, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP). Essa variabilidade explica por que uma fazenda registra resultados tão diferentes em áreas que receberam tratamento idêntico. Tiago Maique, gerente de Desenvolvimento Tecnológico da Monsanto, lembra que, nos últimos anos, o agricultor brasileiro está experimentando um ganho na produtividade proporcionado, principalmente, pela biotecnologia e pela adoção de boas práticas agronômicas. Maique alerta que para aumentar ainda mais a produtividade no campo é preciso racionalizar o uso de insumos. “Hoje, no Brasil, já temos semeadoras que permitem variar a densidade de sementes e fertilizantes por unidade de área. Outros equipamentos medem, por exemplo, a condutividade elétrica de cada trecho com o intuito de diagnosticar características do solo que possam orientar o manejo”, explica Maique.

Um dos objetivos da Monsanto é ajudar o agricultor a utilizar todo o pacote tecnológico para explorar o máximo potencial produtivo em cada semente. Para produzir o dobro de alimentos e conservar o meio ambiente, a empresa acredita que três pilares são fundamentais: biotecnologia, germoplasma de qualidade e boas práticas agronômicas. Pensando nisso, a Monsanto investiu na aquisição da Precision Planting – empresa baseada nos Estados Unidos que desenvolve tecnologias para agricultura de precisão. A equipe da Precision Planting fará parte da unidade de Sistemas Integrados de Produção (Integrated Farming Systems, IFS), que utiliza práticas agronômicas avançadas, genética de sementes e tecnologia inovadora de plantio para oferecer mais rendimento aos produtores com a utilização de menos recursos.

“A aquisição da Precision Planting reforça nosso compromisso de maximizar o rendimento para os produtores, ao mesmo tempo em que otimiza os insumos da lavoura, item central na nossa visão de agricultura sustentável”, diz Robb Fraley, vice-presidente executivo de Tecnologia e cientista-chefe da Monsanto. Fraley destaca que a Monsanto, como companhia focada no aumento da produtividade, está bem posicionada para aprofundar as aplicações mais recentes de tecnologia de plantio e pretende continuar o trabalho com os distribuidores de sementes, revendedores da Precision Planting, e empresas líderes em equipamentos para alcançar esses resultados.

Na avaliação da gerente de Estratégia da Monsanto, Ana Resende, a aquisição reforça ainda o compromisso junto aos agricultores de produzir mais, conservar mais e melhorar vidas. “Características diferentes requerem ações diferentes ligadas à sustentabilidade do negócio. É isso que a Monsanto quer proporcionar ao agricultor,” afirma.

Monsanto do Brasil Ltda

Compartilhe: