Acordo que trouxe cubanos ao Brasil já estava firmado antes do Mais Médicos, diz jornal

Antes mesmo de lançar o programa Mais Médicos, o governo brasileiro já teria assinado com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o contrato que permitiu trazer 4 mil médicos cubanos ao país.

É o que diz reportagem publicada pela Folha de S. Paulo nesta quinta-feira. Conforme publicado no jornal, o “80º termo de cooperação técnica para desenvolvimento de ações vinculadas ao projeto de acesso da população brasileira à atenção básica em saúde”, com data de 26 de abril deste ano, traça regras gerais para parcerias com a entidade. Válido por cinco anos prorrogáveis por igual período, esse termo serviu de base para que fosse firmado em agosto o convênio com Cuba.

O Mais Médicos foi lançado pelo Ministério da Saúde em julho, priorizando profissionais brasileiros. Finalizada a primeira rodada de seleção, com 10% das vagas preenchidas, o governo federal indicou que a solução seria um acordo para trazer médicos de Cuba.

O Ministério da Saúde afirma que assinou o termo de cooperação com a Opas, em abril, como um “guarda-chuva” para ações de reforço à atenção básica.

(Clicrbs)

Compartilhe: