A história do Clube Aliança de Tapera

Fábio David Crestani

Hoje (12), o Clube Aliança de Tapera está completando 63 anos. Na semana passada, conversando com o taperense Nadir Natal Crestani, que reside há muitos anos em Porto Alegre, ele me contou uma passagem sobre o Clube: de como surgiu a ideia de sua criação. Na verdade, o Nadir tem em mãos muitos fragmentos da história de Tapera e entre eles, a do Clube Aliança, e de como surgiu a ideia da criação de um clube social na então Vila de Tapera, pertencente a Carazinho.

Segundo o Nadir, a história que resultou na fundação do Clube Aliança, a primeira entidade social de Tapera, em 1949, é bastante interessante e lhe foi contada por Hugo Euclides Siega (já falecido), membro da Comissão Emancipacionista de Tapera.

Depois de muitos contatos, consegui reunir a grande maioria da liderança de Tapera, no então Café Estrela, hoje Bar Diana, para construir uma quadra de tênis. Lá estavam os Danielli, os Mombelli, os Batistella, enfim, as lideranças mais expressivas da Vila de Tapera. E num dado momento de descontração, quando ainda pouco se tinha falado sobre a quadra de tênis, o Pupi – apelido de Reinoldo Saturnino Bervian (esposo da Dona Elide e pai da Maria Helena) – levantou e fez uma sugestão: “Nós não temos uma sede social aqui. E porque nós não aproveitamos essa reunião par fundar uma sede social em Tapera?.

Foi a mesma coisa que acender um estopim. No outro dia mesmo foi constituída a comissão e a cancha de tênis acabou sendo esquecida. O nome do Clube veio de uma indicação do Antônio Libório Bervian, que namorava uma moça de Bento Gonçalves, onde havia um clube chamado Aliança”, disse Hugo Siega.

Parabéns aos associados, a direção do Clube e a seus fundadores e os familiares destes.

Compartilhe: