80% das mulheres esquecem ao menos uma pílula anticoncepcional por ciclo

Quem nunca esqueceu ou atrasou a pílula um dia? A correria do dia a dia pode ocasionar essas situações, afetando a eficácia do método anticoncepcional e consequentemente aumentando muito a chance de gravidez: de 0,3% para 8%.

Até 80% das mulheres deixam de tomar pelo menos uma pílula por ciclo como mostram alguns estudos clínicos.

— O risco de gravidez é ainda maior quando a mulher começa uma nova cartela com três ou mais dias de atraso ou quando deixa de tomar três ou mais pílulas perto do início ou do fim de uma cartela — explica a ginecologista Cristina Laguna, professora doutora do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

A possibilidade de esquecimento com outros métodos é menor. Em um levantamento realizado com mais de 27 mil mulheres, 61,9% das entrevistadas responderam que esqueceram ou atrasaram a pílula; 32,2%, de colocar o adesivo; e apenas 12,6%, de por o anel.

É por isso que a adoção de um método anticoncepcional deve ser individualizada, defende a ginecologista, levando-se em conta as particularidades de cada mulher. Outros fatores também influenciam a falha de um anticoncepcional, além do comportamento da usuária.

A utilização de alguns tipos de remédios pode causar interação medicamentosa e problemas gastrointestinais, às vezes, provocam vômitos e diarreias, eliminando o contraceptivo antes de sua absorção total.

— O profissional de saúde, ao prescrever um método, deve estar atento para esses detalhes. Além de orientar a correta utilização, deve mostrar para as mulheres as opções disponíveis, como o anel contraceptivo, o adesivo, o injetável ou o DIU, para que a escolha reduza o risco de erros e a chance de uma gravidez não planejada — recomenda.

Outras consequências

Esquecer a pílula durante o ciclo pode gerar efeitos importantes sobre o bem-estar emocional. Além disso, outra consequência dos esquecimentos é a utilização de pílulas anticoncepcionais de emergência, mais conhecidas como pílulas do dia seguinte.

— Embora sejam uma opção, não são as mais eficazes para prevenir uma gestação. Se a mulher utilizar apenas a pílula do dia seguinte após uma relação sexual como método contraceptivo, ela tem mais chance de engravidar do que se utilizar corretamente outro anticoncepcional. A pílula do dia seguinte é para situações de emergência e não pode virar uma rotina, ou seja, ser o único método para situações regulares e muitas vezes previsíveis — alerta a médica.

Clicrbs

Compartilhe: