70% das novas doenças humanas têm origem animal, alerta FAO

Nada menos que 70% das doenças humanas que apareceram nas últimas décadas teriam “origem animal”, e devem-se em parte à procura de alimentos com essa proveniência. É o que aponta relatório publicado essa semana pela agência da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

“O aumento da população, a expansão agrícola e a existência de cada vez mais cadeias de abastecimento alimentar globais alteraram dramaticamente a forma como as doenças emergem, como passam de uma espécie para outra e como se espalham”, aponta o relatório intitulado “World Livestock 2013: Changing Disease Landscapes”.

Autor do prefácio da publicação, o diretor-geral adjunto da FAO para a Agricultura e a Proteção do Consumidor, Ren Wang, afirma que a contínua expansão dos terrenos agrícolas, a par de uma explosão mundial da produção de gado, significa que “os animais de criação e os animais selvagens estão cada vez mais em contacto uns com os outros” e os próprios humanos estão “mais em contacto com animais do que nunca”.

“O que isto significa é que não podemos lidar com a saúde humana, a saúde animal e a saúde dos ecossistemas isoladamente – temos de olhar para elas juntas, e abordar as causas do aparecimento das doenças, a sua persistência e a sua expansão, em vez de nos limitarmos a combatê-las depois de aparecerem”, defende o especialista.

(Agrolink)