PASSO FUNDO – Liverpool FF pronto para estrear na Série Ouro do futsal femininol

Atletas já foram relacionadas para os jogos que valem vaga na fase estadual

Pela primeira vez, o Liverpool FF jogará o Estadual Série Ouro de Futsal. A competição, organizada pela Federação Gaúcha de Futsal tem em sua fórmula a disputa em duas fases – uma eliminatória e outra final. O time passo-fundense participa neste domingo (22) da primeira fase e busca, de forma inédita, disputar a segunda.

Os jogos ocorrem no Ginásio da AABB, em Passo Fundo. O triangular é formado pelo Liverpool FF, Cristal de Pelotas e Menino Deus de Santa Cruz do Sul. Devido aos protocolos sanitários adotados pela FGFS, não haverá presença de público.

Os jogos ocorrem às 13h (Liverpool x Cristal) e 17h (Liverpool x Menino Deus). A expectativa é pela classificação. “Mas é uma equipe encaixada, com elenco experiente e que vai surpreender. O time está pronto e o clube estruturado” diz o treinador Fábio Costa.

Os treinos físicos ocorrem sete dias por semana, no formato remoto pela internet. Os treinos técnico e táticos são raros, pois as meninas vivem em cidades diferentes. O elenco de 14 atletas está pronto, “embora tenhamos feito poucos treinos. O time é muito bom e fazemos frente aos times masculinos. Nosso objetivo é chegar à final do Estadual e conseguirmos uma vaga em competição nacional” reforça o treinador.

Relacionadas
Para os jogos do domingo, Fábio Costa tem apenas um desfalque: Cota, que está com a seleção. No mais, o time vai à quadra com 1-Rose, 2-Shai, 3-Taline, 4-Carla, 14-Tais, 9-Mari, 10-Marina, 11-Êmily, 12-Maura, 20-Aline, 23-Kananda, 27-Carol Sangue, 98-Marcela e 99-Talita. Todas tiveram o nome divulgado no BID.

Apoio, uma ausência sentida
Entretanto, há mais dificuldades no caminho do Liverpool FF além das equipes adversárias. “Fui a duzentas empresas e apenas uma acertou apoio” lamenta Costa. Conforme ele, o clube banca todo o tipo de custo, da segurança ao uso do ginásio, passando pela arbitragem, deslocamento das atletas, fardamento, alimentação e transporte. “Também existem as transferências,. Fizemos 12 ao valor de R$ 500 cada. Fazer o futsal feminino não é fácil. Estamos nessa pela paixão pela modalidade” conclui.

Foto Divulgação
Diário da Manhã