Coletiva de imprensa atualiza sobre o caso da médica raptada em Erechim

Uma coletiva de imprensa sobre o caso da médica ginecologista que foi sequestrada foi registrada em Erechim, durante a manhã desta sexta-feira, 23.

Participaram, a delegada regional de Erechim, Diana Zannata, o comandante da Brigada Militar do município, major Ceconnelo, o chefe da DRACO de Erechim, Gustavo Cecon e o chefe operacional da PRF, Batista.

Segundo o delegado Gustavo, a mulher foi sequestrada por um casal, que estava em frente a Unidade Básica de Saúde, onde a médica trabalhava, e no momento em que ela saia do trabalho foi informada que supostamente o seu pneu estaria furado. No momento em que ela verificou o pneu, foi rendida e sequestrada,

Gustavo ainda relatou que de primeiro momento os sequestradores tinham como cativeiro um local em Itá-SC, mas devido a grande repercussão do fato eles fugiram para o estado do Paraná.

Na estrevista, a delegada Diana agradeceu o esforço as equipes de investigação da Polícia Civil, Brigada Militar e Polícia Rodoviária Federal. Segundo ela, o trabalho em conjunto foi fundamental para localizar a médica com vida.

Questionado sobre como a polícia encontrou Tamires Regina Gemelli da Silva Mignoni, 30 anos, o delegado informou que a polícia recebeu informações e já estava monitorando o local nas proximidades de onde ela estava, no Paraná. Em um determinado momento, um homem suspeito foi visto em via pública. Ele fugiu da abordagem policial.

Enquanto a polícia realizava diligências, foi constatado que em uma casa próxima as luzes apagaram para tentar não chamar atenção dos policias.

Essa era a residência onde estava a Tamires.

Uma das sequestradoras, que cuidava para ela não fugir, correu e se escondeu em uma casa vizinha.

A polícia encontrou Tamires em um corredor, tendo acesso apenas a um banheiro.

O total, quatro pessoas foram presas. Todas foram conduzidas para o presídio de Erechim.

Rádio Planalto