Municípios que liberarem eventos precisarão autorizar volta às aulas

Liderados pela Famurs, gestores municipais esperavam que governador recuasse nessa posição

O governa dor Eduardo Leite se reuniu nesta quarta-feira (21) com prefeitos gaúchos. Em videoconferência com os presidentes da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Maneco Hassen, e das 27 associações regionais, Leite manteve a posição em relação ao retorno das aulas. Os prefeitos que esperavam que ele voltasse atrás, ouviram que só poderão liberar eventos se autorizarem a retomada das atividades presenciais escolares.

O governador voltou a dizer que, se uma cidade se sente segura para liberar o entretenimento, precisa desse mesmo sentimento para a retomada das aulas, reforçando seu entendimento de que a educação é uma atividade essencial. Com isso, o impasse com os municípios permanece. A Famurs, por duas vezes em assembleias, decidiu por orientar as prefeituras a não liberar a volta às aulas.

— Esperávamos a retirada do condicionamento. Respeitamos, mas não concordamos. Fere a autonomia dos municípios. Aulas movimentam pessoas todos os dias, já eventos são esporádicos – sustenta Maneco.

Segundo o presidente da Famurs, os presidentes das 27 associações regionais se reúnem na próxima terça-feira (27) para discutir novamente o tema. Até lá, o transporte escolar será tratado em reunião com o secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles. Uma das alternativas levantadas e que também será discutida entre os prefeitos, é que os municípios que decidirem por não liberar aulas presenciais nas redes municipais, que não impeçam as atividades nas redes estadual e privada.

Não há um levantamento de quantos municípios liberaram eventos e mantiveram aulas presenciais suspensas. A prefeitura que tomar essa medida deverá ser notificada pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE) por descumprimento de decreto estadual.

GZH