Bolsonaro diz que orientação será de isolamento vertical

Presidente defendeu a medida durante coletiva de imprensa na saída do Palácio do Alvorada, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira (25), durante coletiva de imprensa na saída do Palácio do Alvorada, em Brasília, o ‘isolamento vertical’ de idosos. Segundo ele, essa será a nova orientação do Ministério da Saúde. “Conversei por alto com o Mandetta [ministro da saúde] ontem e hoje vamos definir essa situação, tem que ser, não tem outra alternativa, a orientação vai ser essa. Vou conversar com ele [ministro da saúde] e tomar essa decisão”, disse.

Bolsonaro pontuou que a recomendação será para idosos com duas ou mais comorbidades. O restante da população, que não se enquadra neste grupo de risco, poderá, de acordo com ele, voltar a trabalhar.

Até então, o distanciamento social era uma das principais recomendações para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19). O isolamento é recomendado, por enquanto, para aqueles que apresentam sintomas gripais ou que foram diagnosticados com a doença.

Questionado sobre o pronunciamento em rádio e televisão feito na noite de ontem (24), Bolsonaro argumentou que “se não acordarmos para a realidade, daqui a uns poucos dias poderá ser tarde demais”. “Espero que o Brasil volte à normalidade e encare o vírus até como se fosse uma guerra, mas em situação de igualdade”, completou.

O Brasil tem mais de dois mil casos confirmados de coronavírus e 47 mortes, conforme o Ministério da Saúde. O estado de São Paulo registra 40 mortes, o Rio de Janeiro, 6 e o Amazonas confirmou nesta quarta uma morte. A morte registrada em Porto Alegre na madrugada desta quarta-feira ainda não entrou na estatística oficial do Ministério da Saúde.

Foto: Reprodução/Internet