Municípios da região tem focos de raiva herbívora

Um treinamento teórico-prático sobre o Programa de Controle da Raiva Herbívora envolveu veterinários e técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), para capacitá-los sobre a zoonose, que coloca o Rio Grande do Sul em alerta sanitário desde maio.

A capacitação foi organizada pela regional da Seapdr de Passo Fundo.

Até 12 de julho, foram confirmados 40 focos de raiva herbívora em 25 municípios, de acordo com dados da Divisão de Defesa de Sanidade Animal (DSA) da Secretaria. A maioria envolve bovinos, e apenas um caso em equinos foi registrado em Cruz Alta.

Entre os municípios com focos
Candelária
Cruz Alta
Espumoso
Ibirapuitã
Não Me Toque
Passo do Sobrado
Salto do Jacuí
Soledade
Tio Hugo
Vale do Sol

Orientação para os produtores
A orientação para os produtores rurais é vacinar ou revacinar seu rebanho para prevenir a raiva herbívora.

O alerta foi emitido com base em situações registradas no Estado, como a incidência de agressões do morcego hematófago Desmodus rotundus a bovinos, sem que tivesse havido conhecimento e identificação de refúgios. Conforme o coordenador do Programa de Controle da Raiva Herbívora, Wilson Hoffmeister Júnior, a raiva pode ser controlada de forma preventiva, por meio do controle da população de morcegos hematófagos e da vacinação maciça dos animais. A vacinação não é obrigatória, mas é recomendada.

A orientação aos produtores rurais é de que localizem novos refúgios de morcegos vampiros mas não tentem capturá-los por conta própria. A captura é realizada somente pelos Núcleos de Controle da Raiva do Estado, devidamente capacitados, vacinados contra a raiva. As equipes são acionadas pelas regionais da Secretaria da Agricultura sempre que houver laudo positivo para raiva em herbívoro ou se forem constatados altos índices de mordedura em animais de produção em determinada região.

Rádio Geração