Dependência pela nicotina é considerada a principal porta de entrada para outras substâncias psicoativas

Mesmo que o número de fumantes tenha reduzido 40% no Brasil nos últimos 12 anos, a taxa de pessoas que possuem o hábito de fumar é de 9,3% segundo o Ministério da Saúde. Entre as capitais, a maior prevalência de fumantes está em Porto Alegre, com 14,4% da população.

Diante do contexto que ainda motiva preocupação das autoridades de saúde, o programa Emoção, Afeto e Comportamento da Rádio Uirapuru desta semana abordou as dificuldades de largar o vício do cigarro.

O Dr. Érico Hecktheuer recebeu o psiquiatra Jorge Carrão que tratou, ainda, sobre estratégias para enfrentar esta dependência.

O especialista revelou que a nicotina funciona como uma espécie de protótipo das dependências químicas e é considerada a porta de entrada para outras substâncias psicoativas.

Carrão explicou que o vício no álcool, na maconha, cocaína, crack, entre outras drogas, possuem a mesma rota de acontecimentos que levam uma pessoa a utilizá-las.

Ele destacou que o paciente que consegue parar de fumar se torna um indivíduo com melhores condições de lidar com problemas cotidianos.

Ao tratar da dependência com a nicotina, a pessoa apresenta menores chances de desenvolver vício nas demais drogas, sendo elas lícitas ou ilícitas.

O psiquiatra esclareceu que o vício no cigarro já é considerado uma doença e varia de acordo com o nível de dependência.

Rádio Uirapuru