Polícia Civil alerta para golpes na troca de ‘nudes’ em redes sociais

Golpistas se passam por mulheres e trocam fotos com a vítima; depois, ocorre a extorsão, que envolve até falso delegado

A Polícia Civil emitiu um alerta sobre um golpe de extorsão que tem sido registrado na região, em outros municípios do Rio Grande do Sul e também em Santa Catarina.

O caso ocorre em redes sociais como Whatsapp e Facebook, que são utilizadas por golpistas.

A PC divulgou os ‘passos’ do golpe:

Passo 1:
Em sites de relacionamentos, em especial o Facebook, uma mulher ‘estranha’ e ‘bonita’ envia um convite de amizade, que normalmente é aceito pelo solicitado(a).

Passo 2:
A moça com um perfil falso passa a dialogar com a vítima – preferencialmente com homens – e a conversa evolui até a troca de fotos sexuais, popularmente conhecido como ‘nudes’. Então, a moça alega que é menor de idade.

Passo 3:
Após alguns dias de conversação, a vítima recebe uma ligação telefônica e o interlocutor se identifica como pai da adolescente. Ele alega que descobriu o relacionamento entre a filha e a vítima e então passa a exigir dinheiro.

Conforme a PC, a extorsão começa com valores baixos.

Passo 4:
Com medo, a vítima faz depósitos em contas fornecidas pelo suposto pai da adolescente, sempre com ameaça de levar o fato às autoridades; e até à esposa. Depois, o pai da moça pede um valor mais elevado para que os fatos sejam extintos e é aceito pela vítima.

Passo 5:
Após alguns dias, o extorquido recebe novo telefonema. Desta vez, o interlocutor se identifica como delegado e alega que recebeu uma denúncia de pedofilia e que ainda não tinha formalizado a denúncia e o pedido de prisão. Assim, para parar a ação policial, é exigido o valor de R$ 5 mil.

Para convencer a vítima, o golpista manda foto do policial e da delegacia.

Conselhos da Polícia
-Evite divulgar dados pessoais nas redes sociais, como dados familiares e locais de seu trabalho
-Evite aceitar pessoas desconhecidas. Faça uma pesquisa antes
-Jamais forneça fotos sexuais. Elas podem cair em mãos erradas

Diário da Manhã