PASSO FUNDO – Delegado do Cremers afirma: baixo salário e problemas na estrutura deixam sistema público da cidade sem atrativos aos médicos

Um dos grandes problemas do Brasil é a saúde pública e, em Passo Fundo, não é diferente. Todos os dias a Rádio Uirapuru recebe mensagens de ouvintes relatando que faltam médicos, dentistas, medicamentos, além da demora para os atendimentos acontecerem. A prefeitura recentemente informou que contratou 77 médicos para atender nos Cais e Unidades Básicas de Saúde (UBS). Esses profissionais amenizam, mas ainda não resolvem por completo a defasagem, por isso o Poder Público está em busca de novos médicos para atuar na saúde municipal. De acordo com a prefeitura, os profissionais da área não se interessam em atuar na rede pública, mesmo com o salário oferecido que pode chegar a R$ 13,4 mil para carga horária de 40 horas.

Buscando entender por que os médicos não se interessem em atuar na rede pública de saúde, mesmo os recém-formados, a Uirapuru conversou com o delegado do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul – CREMERS – Passo Fundo, Dr. Edison Antônio Horn. Ele explicou que o salário oferecido pela prefeitura de Passo Fundo não é interessante para os médicos. Segundo ele, a medicina não é uma profissão comum, pois é necessário estar sempre atualizado e estudando, com cursos caros. Portanto, os profissionais precisam ganhar bem para bancar esses gastos com os aperfeiçoamentos, sem contar o alto valor investido para a formação. Horn disse que os alunos saem da faculdade procurando emprego e não somente em consultórios particulares, que também tem um alto custo de manutenção.

De acordo com o delegado do Cremers, atualmente há bastante médicos no Brasil, mas até as prefeituras de cidades menores estão oferecendo salários mais atrativos que Passo Fundo. Outro fator que faz com que a procura pela rede pública seja menor são as condições de trabalho e a falta de recursos, mas, segundo Horn, as obras que a prefeitura está realizando no Hospital Municipal e nos ambulatórios podem mudar essa situação.

Rádio Uirapuru