NÃO-ME-TOQUE – Cooperativa do Paraná confere tecnologia usada na armazenagem da Cotrijal

A tecnologia e o profissionalismo da Cotrijal na parte de armazenagem e conservação de grãos chamam a atenção inclusive de cooperativas de outros estados hoje referência no segmento. Nesta quarta-feira, 15, uma equipe da Cooperativa Agrária Agroindustrial, com sede em Guarapuava (PR), esteve em Não-Me-Toque para conferir de perto os processos de gerenciamento centralizado de aeração e termometria.

Na Sede, o grupo composto pelo coordenador de produção, Claudinei Lopes; o supervisor de manutenção, Ademir Klaus; o especialista em automação, Primo Vaz, e por representantes da Focking, empresa parceira da Cotrijal e fabricante da tecnologia, foram recebidos pelo gerente de Armazenagem de Grãos, Tadeu Garibotti; pelo técnico em armazenagem grãos, Régis André Schmitt, e pelo analista de armazenagem, Rodrigo Nicolao.

Na conversa com gestores, os visitantes trocaram informações sobre o funcionamento do software utilizado pela Cotrijal e que possibilita ter o controle de todo o processo de armazenagem de 17 unidades, o que representa 62,9% do total da armazenagem da Cotrijal. O grupo também percorreu estruturas da unidade de Negócios de Não-Me-Toque, acompanhado pelo coordenador operacional Claudemir João Von Frühauf.

“O benchmarking é uma prática comum entre as cooperativas e o nosso foco hoje é ver sistema moderno que a Cotrijal trabalha na parte de armazenagem”, adiantou Lopes. Para Garibotti, uma interação importante e que agrega valor aos profissionais que atuam no setor de pós-colheita. “Ficamos honrados com a visita. São ações que geram conhecimento e que reforçam que estamos no caminho certo”, destacou.

Com um faturamento que ultrapassa os R$ 3 bilhões, a Agrária conta com três unidades de armazenagem, sendo que uma única unidade tem capacidade para estocar acima de 750 mil toneladas, quase o volume total de armazenagem da Cotrijal hoje em 890.580 toneladas.

Na cooperativa paranaense, praticamente tudo o que é produzido pelos mais de 500 associados é industrializado. Só para se ter uma ideia em torno de 27% do malte produzido no Brasil é fornecido pela Agrária que possui indústrias de milho, óleo, maltaria, moinho de trigo e fábrica de ração.

Fonte: Jornalista Elisete Tonetto/Assessoria de Imprensa da Cotrijal