IBIRUBÁ – Conheça os projetos do IFRS que correm o risco de acabar

Após o anúncio semana passada do Ministério da Educação (MEC) de um corte de 30% no repasse às universidades e institutos federais, diversas instituições de todo o Brasil constataram bloqueio de valores. Várias delas emitiram notas informando que, se os cortes se confirmarem, terão de paralisar atividades e suspender pagamentos a terceiros, incluindo o Instituto Federal – Campus de Ibirubá. Em grande parte dos casos, o maior impacto ocorrerá no pagamento de contas como água, energia elétrica, serviços de limpeza e aquisição de materiais.

Em nota divulgada, sexta 3/05, à comunidade o IFRS indicou que o corte de 30% do orçamento inviabiliza atividades no IFRS. O corte foi de R$ 18.549.952,00, correspondendo a 30% do orçamento de custeio e investimento, que é de R$ 61.833.180,00, conforme a Lei Orçamentária Anual de 2019. Migacir Trindade Flôres, Diretora Geral Campus Ibirubá, comentou que com esses cortes há um risco grande de inviabilizar o funcionamento da instituição. A expectativa, se o corte for mantido, é que o campus tenha possibilidade de funcionar até setembro, após esse período traria severos prejuízos aos serviços prestados à comunidade. Até mesmo nas atividades básicas de funcionamento como a manutenção dos contratos continuados, água, energia, alimentação e serviços terceirizados.

Em consequência ao corte de verba do Governo Federal, o IFRS anunciou através de outra nota oficial, publicada na segunda-feira, 06, a relação dos programas já cortados devido à falta de verbas, são eles:

“A utilização de recursos para diárias e passagens deve ser racionalizada, devendo ser autorizadas somente aquelas estritamente necessárias para o funcionamento da instituição. Alguns eventos institucionais de capacitação estão suspensos temporariamente. A falta de verba impacta na contratação de serviços para sua realização, bem como no deslocamento, alimentação e hospedagem de estudantes e servidores participantes. Estão suspensos por tempo indeterminado os eventos: 3º Encontro de Pesquisadores e Extensionistas, I Encontro de Gabinetes; II Encontro de Gestão de Pessoas; 6º Jogos do IFRS; IV Workshop Diversidade e Inclusão; Seminário Institucional de Autoavaliação e Planejamento Estratégico da Pós-Graduação Stricto Sensu; I Workshop de Tecnologia da Informação; II Festival #MundoIFRS; II Fórum de Educação Profissional e Tecnológica; Encontro Cultural e Tradicionalista dos IFs (Encontrão).”

Na terça-feira, 7, houveram diversas manifestações pelo Rio Grande do Sul, dos diversos campi que compõe o IFRS, aqui em Ibirubá não foi diferente. Os alunos do Instituto Federal se organizaram em frente ao IF com faixas contendo frases contra os cortes das instituições de ensino. Também, através de consulta popular, na página do Facebook Rádio Cidade Ibirubá, a comunidade ibirubense pode manifestar seu posicionamento, foram 859 votos, 86% contra o corte e 14% a favor do corte.

Conheça os projetos que podem estar com os dias contados

Projeto Ciência Revelada
O projeto Ciência Revelada, coordenado pela professora Ana Dionéia Wouters, elucida aspectos científicos de forma prática para o público leigo. Tem como público alvo estudantes da rede pública municipal e estadual, além da comunidade em geral. A última edição abordou aspectos da saúde bucal, aspectos estéticos e tecnologias utilizadas rotineiramente nos consultórios odontológicos, salientando o que há de mais moderno na odontologia atualmente. Oficina de Tecnologa em Produção de Alimentos ministrada pela Tássia Schwantes sobre aproveitamento integral de alimentos. E também, uma palestra realizada em setembro de 2018 com a professora da Unipampa Flávia Dalla Nora, falou sobre teorias da conspiração da indústria farmacêutica/alimentícia/agroquímica, fármacos mais utilizados hoje e qual o caminho percorrido para se chegar a um medicamento.

Parceria ente IFRS e CIEMP busca avanços na área médica
“Desenvolvimento de um sistema especialista para classificação de pacientes asmáticos”, coordenado pelo professor Dr. Edimar Manica. A parceria é com a Clínica Integrada de Especialidades Médicas e Psicológicas (CIEMP) de Ibirubá, a qual atua há dois anos no município. Os responsáveis pela clínica, o médico Enrique Pokulat e a psicóloga Camila Pereira, identificaram que a asma e outras doenças pulmonares afetam um grande número da população regional e, junto com o IFRS, buscam utilizar essas doenças como forma de rastreio e prevenção de outras mais graves.

A equipe do IFRS trabalha nesse projeto desde 2018 e conta com dois bolsistas da área de Ciência da Computação. Rafael Müller Gruhn e Lisiane Reips trabalham junto com o Dr. Edimar e o Dr. Enrique para construir as bases de dados necessárias para o avanço da pesquisa. O trabalho está em fase inicial, mas o Dr. Enrique Pokulat destaca que “esse é um projeto grande e pode ser um divisor de águas para quem tem asma”. Ainda existem várias fases a serem implantadas, e é necessário manter a atenção nas questões éticas, pois a pesquisa ainda utiliza dados fictícios, no entanto, em breve os dados serão de pacientes reais.

Cultura do Trigo
A produção e pós-colheita do trigo é a base para o projeto que reúne o IFRS Campus Ibirubá e a Biotrigo, empresa de Passo Fundo-RS que pesquisa há mais de 10 anos sobre essa cultura.

O objetivo é avaliar a possibilidade de antecipação do plantio, evitando utilizar outra cultura, como forrageiras, entre a colheita da soja e o plantio do trigo, bem como fomentar o interesse dos produtores por investir na cultura. Os experimentos serão realizados no Campus Ibirubá em abril de 2019 e 2020, onde inicialmente serão plantadas quatro cultivares para que seja possível analisar o desempenho dessas na semeadura antecipada.

Na pós-colheita, a intenção é otimizar o trabalho com a secagem do produto, observando a temperatura máxima e o tempo ideal entre a colheita e a secagem para que haja melhor qualidade do trigo, levando em consideração condições controladas e não controladas de armazenamento. Nessa etapa, as amostras serão fornecidas pela Biotrigo e o trabalho de secagem será realizado pelos profissionais do Campus Ibirubá.

Departamento de Jornalismo Rádio Cidade FM/O Alto Jacuí