Em 10 anos, RS tem 1,9 mil ataques a bancos registrados

O Rio Grande do Sul registrou 1.904 ataques a bancos nos últimos 10 anos, segundo um levantamento realizado por GaúchaZH. Foram roubos, furtos e arrombamentos, incluindo casos em que pequenas cidades foram praticamente sitiadas por quadrilhas que explodiram agências ou fizeram reféns e os usaram como escudo humano.

Ao todo, 70,6% dos municípios gaúchos tiveram bancos atacados neste período. Destes, em apenas 23 cidades ocorreram quase metade de todos os ataques registrados. Estes fatos levaram medo principalmente a pequenas localidades, com pouco policiamento. Os fatos levaram as autoridades de segurança a mudar algumas estratégias para combater este tipo de crime.

Os dados compreendem ataques entre os anos de 2009 e 2018, mostrando que 351 cidades tiveram instituições bancárias como alvo de bandidos. O ano de 2015 foi o que mais registrou ocorrências. Foram 351 casos, representando 18,4% do total do período de 10 anos. Em 2010 houve o menor número de registros, 113.

O levantamento revela ainda que desde 2016 ocorre redução gradativa do número de ataques. Atualmente, eles têm se concentrado em determinadas regiões, como Norte, Noroeste e Serra, além de envolver grupos criminosos que agem praticamente no final e no início de cada mês, em época de pagamento.

Este período é considerado perigoso para bancários e moradores de cidades pequenas como Ibiraiaras, no Norte, com 7,3 mil habitantes, que já registrou oito ataques com bancos explodidos e pessoas reféns. Uma delas morreu quando foi levada por bandidos que entraram em confronto com a polícia após assalto no fim do ano passado.

*ZH