PASSO FUNDO – “Eu só pensei em proteger minha vida”, diz agricultor que matou dois bandidos

Homem, de 41 anos, faz parte de um clube de tiro há cinco anos

Um agricultor de 41 anos recebeu a informação de que sua propriedade, localizada no interior de Passo Fundo, era possivelmente alvo de bandidos no fim da noite de domingo (10).

Soube porque alguém havia entrado em seu imóvel na localidade de Nossa Senhora das Graças e o alarme disparou.

O aviso foi dado através do telefone celular.

Segundo o homem, as câmeras estavam estragadas e, por isso, não conseguia ver o que ocorria a distância. O agricultor, que trabalha na propriedade durante o dia e dorme na cidade à noite, decidiu ir ao local, com uma espingarda calibre 12.

Quando chegou, viu que a situação não era a habitual: uma região com poucos moradores e que ficam a quilômetros de distância uns dos outros.

Havia pessoas estranhas dentro do imóvel. Soube também pelo fato de as luzes estarem acesas, algo que não acontecia naquele horário.

Ele parou a caminhonete na estrada e foi, a pé, para próximo da casa. O agricultor relata ter ficado no escuro e escondido atrás de uma árvore.

Observou a situação e viu quatro bandidos. “Quando um dos caras saiu [da casa] eu disse: ‘Para! Levanta as mãos, fica parado. Um cara de dentro [da casa] deu um tiro pelo vidro”, disse.

No entanto, o disparo não atingiu o proprietário.

Nesse momento, outro homem estava com uma espingarda – com mais de 50 anos e que pertencera ao avô da vítima – que ficava guardada, na casa, como uma recordação. “Eu dei quatro, cinco tiros nos vultos e ali peguei eles.” Dois dos homens foram alvejados e morreram no local. Eles não foram identificados até o momento.

Um terceiro fugiu e tentou se esconder. No entanto, no início da manhã de segunda-feira (11), ele foi encontrado ferido por um morador da região e levado para atendimento médico ao Hospital São Vicente de Paulo (HSVP).

O indivíduo que estava armado com um revólver, e que efetuou o disparo, fugiu, conforme o agricultor.

Depois de efetuar os disparos, o agricultor foi à caminhonete e saiu do local. Junto com um amigo, ele acionou a Brigada Militar e voltou à propriedade .“Eu só pensei em proteger minha vida. Estava sozinho. O cara atirou em mim. Sou atirador, fui treinado e tenho cabeça fria”, disse. Ele afirma fazer parte de um clube de tiro de Carazinho há cinco anos.

Conforme o homem, a região já teve casos de assaltos e, na semana passada, um vizinho teve vários objetos levados por criminosos.

Antes de entrarem na casa, os criminosos foram a um galpão e não encontraram nada. Na sequência, vasculharam toda a casa. Na ação, quebraram todas as câmeras e arrancaram a sirene do alarme. O plano dos bandidos era levar o equipamento de monitoramento, alarme, botijão de gás, panelas, carnes que estava no freezer, entre outros objetos.

O furto foi impedido pela ação do proprietário.

O caso é investigado pela 1ª Delegacia da Polícia Civil de Passo Fundo. O agricultor tem Certificado de Registro da arma de fogo, conforme a PC.

*O agricultor não teve o nome divulgado a pedido dele

Diário da Manhã