ESPUMOSO – Silagem inoculada tem melhor conservação e durabilidade

Está chegando a época da ensilagem de milho. Com a planta pendoando, em cerca de 30 dias será possível fazer a silagem. Um dos processos mais complexos dentro da produção de leite e ao mesmo tempo, um dos fatores mais importantes para garantir a alimentação e nutrição do animal no decorrer do ano a silagem exige um bom manejo por parte do produtor, pois um alimento que tenha uma boa compactação, vedação, corte adequado das partículas, terá melhor durabilidade e digestibilidade por parte dos animais, sendo o principal componente da dieta, principalmente quando se fala em vacas em lactação.

Segundo o zootecnista da SLO Biotecnologia e Agropecuária de Cambé no Paraná, que realizou juntamente com a Cotriel e a empresa Basso e Pancote no último dia 21 em Alto Alegre uma palestra para produtores, o processo de ensilagem consiste na conservação do milho com ausência de oxigênio e de baixo pH: “É somente nesta condições que as bactérias láticas conseguem dominar a fermentação da biomassa e baixar o pH do meio, conservando de maneira correta e sem perdas nutricionais o material ensilado. A presença do oxigênio traz como consequência a fermentação de bactérias não desejadas, proliferação de fungos na silagem e o aquecimento da biomassa trazida da lavoura. É comum encontrarmos silagens quentes com temperaturas acima de 38ºC, ocasionando perda de nutrientes, produção de calor, gás carbônico e água, com aquele efeito de silo chorão que em nada beneficia os animais”, descreve.

Garcia lembra ainda que para que a manutenção da qualidade do material trazido da lavoura é indispensável o uso do inoculante. “A grande vantagem do uso do inoculante é redução de perdas nutricionais e garantia de um material ensilado mais nutritivo, diminuindo a proliferação de fungos e micotoxinas, que geram diversos problemas na saúde dos animais, como na reprodução e baixa imunidade”, enfatizou.

O zootecnista ressaltou que estudos realizados a campo, apontaram diferença de 10% na disponibilidade de amido, em silagens de milho inoculadas, se comparadas com as não inoculadas, reduzindo, também, os índices de micotoxinas nos materiais analisados. ” Apesar disso, muitas pessoas acreditam que a única vantagem do uso do inoculante é a antecipação da fermentação e abertura do silo, porque esta é a parte “visual” que consegue-se observar no momento da ensilagem. É importante reforçar que o produto promove ganho na qualidade nutricional. A recomendação é dissolver um frasco em 100 litros de água potável em temperatura ambiente e sem cloro, pulverizando dois litros por tonelada de silagem. Enfatiza-se a necessidade de regular a pressão e vazão da máquina de inoculação para, assim, ser possível inocular maior quantidade de silagem sem ter a necessidade de diversas paradas para abastecer a máquina”, finalizou.