NÃO-ME-TOQUE – Pesquisadores russos visitam a Cotrijal

O jeito de cooperar do Agro brasileiro, hoje uma referência para outros setores, tem despertado também a curiosidade de pesquisadores da área de fora do país. Estudiosos da Academia Nacional de Ciências Econômicas e Administração Pública, um das maiores universidades da Rússia, estiveram na Cotrijal, nesta quinta-feira, 8, para conferir de perto o trabalho da cooperativa na produção de grãos, com o quadro social e comunidades.

Na visita, o professor Alexander Nikulin, que coordena Centro de Estudos Agrários na academia, destacou que a Rússia já teve um sistema cooperativista bastante forte, hoje em fase de reestruturação, e o exemplo da Cotrijal servirá de inspiração para o maior país do mundo. Ele estava acompanhado do colega Alexander A. Kurakin, que se mostrou surpreso com a dinâmica da cooperativa e a forma como trabalha com o produtor. “É uma organização comprometida não só com o resultado econômico do produtor, mas também com o social”, observou.

O encontro foi intermediado pelos professores da UFRGS, Sérgio Schneider e Paulo Niederle. A agenda no Brasil, segundo Schneider, servirá de subsídio para projeto de estudo comparativo na agricultura entre os dois países. “O foco maior é entender o cooperativismo e a cadeia da soja”, adiantou Schneider.

Ao recepcionar o grupo, o superintendente de Produção Agropecuária, Gelson Melo de Lima, falou do trabalho da Cotrijal na produção de grãos, leite e com o quadro de associados. A intenção dos estrangeiros é retornar a Não-Me-Toque em março, para participar da Expodireto Cotrijal.

Antes de seguir viagem para Brasília, onde cumprem agenda antes de retornar à Rússia, os pesquisadores visitaram outras cooperativas, empresas ligadas ao agronegócio e produtores.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal