Diálogo Espírita – SEMEADURA E COLHEITA

O Espiritismo não admite um inferno onde há chamas, forcados, caldeiras e lâminas; não admite que seja uma alegria para os eleitos, levantar a tampa das caldeiras para ver nelas ferver os condenados, talvez um pai, mãe ou filho; não admite que Deus se compraza em ouvir, durante a Eternidade, os gritos de desespero de Suas criaturas, sem ser sensível às lágrimas daqueles que se arrependem.

Seria Deus mais cruel do que aquele tirano que fez construir um respiradouro ligando os calabouços de seu palácio ao seu quarto de dormir, para se dar ao prazer de ouvir os gemidos de suas vítimas?

Se Deus é Justo e é Amor como se explica tantas diferenças em suas criaturas e tanto sofrimento?

Cada um é responsável pelas suas semeaduras, que são livres, gerando consequentemente a colheita que será obrigatória.

Mas se não temos respostas pelo sofrimento nesta vida sem ter cometido tão grandes males?

É porque foi cometido numa existência anterior. A Reencarnação é assunto para ser estudado e compreendido e virão as respostas.

Sociedade Espírita Raios de Luz de Tapera