Leigos evangelizadores

Leigos e leigas evangelizadores atuam em todas as comunidades católicas. Deles depende o dinamismo de uma comunidade, que a faz ser uma comunidade de seguidores de Jesus Cristo, que se forma na fé, que celebra e que vive a caridade. Nosso presbitério é formado por 35 padres (diocesanos e religiosos), que atuam nas 32 paróquias e todas as demais atividades diocesanas. Somos, no entanto, por volta de 560 comunidades, que se organizam em pastorais, conselhos, movimentos, grupos de serviço, de formação e administração. Cabe aqui a imagem de uma orquestra. O padre tem a missão de ser o regente e congregar todos os dons que o Espírito Santo vai despertando para colaborar na missão evangelizadora. Os dons são tantos, são diferentes e são complementares. No entanto, todos têm em comum a mesma música, a mesma partitura, tocada harmoniosamente com diferentes instrumentos, que devem estar afinados e em sintonia: o Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. No quarto domingo do mês de agosto bendizemos a Deus pelos leigos evangelizadores de toda nossa Diocese.

Neste Ano do Laicato, a Igreja reafirma o desejo de ter um laicato maduro, verdadeiros “sujeitos eclesiais”, que sejam na Igreja e no mundo “sal” e “luz”. Afirmo com alegria que hoje nossa Diocese colhe os frutos de um grande esforço e de muita convicção de que os leigos e leigas não são meros ajudantes dos padres e religiosos, mas corresponsáveis na missão evangelizadora da Igreja. Aumenta o número e a qualidade de nossos leigos e leigas que estudam Teologia, que coordenam cursos para outros leigos, que presidem a celebração da Palavra e, como catequistas, são educadores da fé, em nome de toda a comunidade.

O fundamento de toda vida e missão dos leigos é o batismo, por meio do qual são inseridos na vida de Cristo e, como membros da Igreja, segundo a sua condição, participam da missão de todo povo cristão. Sua primeira e específica missão se realiza no mundo, pelo seu testemunho cristão na sua família e profissão. O que os distingue e os move é a fé, “uma vida transfigurada pela presença de Deus” (EG n. 259), a partir da contemplação amorosa do Evangelho e “deter-se em suas páginas e lê-lo com o coração” (EG n. 264). Todo evangelizador, e também o leigo, “sabe bem que a vida com Jesus se torna muito mais plena e, com Ele, é mais fácil encontrar o sentido de cada coisa. É por isso que evangelizamos” (EG 266). Por isso, são sobretudo os leigos que fazem a Igreja viver sua vocação missionária e misericordiosa. Eles garantem que a Igreja esteja em toda parte e que todas as realidades humanas sejam iluminadas pelo Evangelho.

Lugar central nesta missão evangelizadora é o anúncio da Palavra de Deus, que suscita e alimenta a fé, conduzindo para a Eucaristia e guiando a vida. Na comunidade cristã são as catequistas que têm esta nobre missão. Elas anunciam a mesma Palavra que lhes comunicou o amor de Deus e encheu de sentido suas vidas. Antes de anunciadores, são humildes acolhedores desta Palavra. Uma gratidão especial a todas(os) catequistas, mulheres e homens da Palavra que possibilitam o encontro continuamente renovado com Jesus Cristo e a vivência da fé na comunidade cristã.

Parabéns a todos os leigos e leigas, especialmente aos catequistas, pela vossa bela vocação e missão. Dizemos, com alegria: “Vós sois o sal da terra”; “vós sois a luz do mundo” (Mt 5,13-14).

Dom Adelar Baruffi – Bispo Diocesano de Cruz Alta