Diálogo Espírita – SEXTO SENTIDO

No mundo material em que estamos quando reencarnados, usamos os cinco sentidos (tato, olfato, visão, audição e paladar), dentro do processo de progresso do Ser humano.

Agora que estamos no Terceiro Milênio chegou a vez de desenvolver o Ser espiritual que todos nós somos.

Para tanto, está eclodindo o sexto sentido, classificado por Kardec como Mediunidade, que é o intercâmbio de nosso mundo corpóreo com os espíritos.

É a comunicabilidade com os habitantes da Dimensão Espiritual.

Começa pelas crianças cuja reencarnação se completa até aos sete anos e muitas delas fazem este intercâmbio naturalmente e diversos pais que não têm este conhecimento ficam preocupados sobre as comunicações das crianças.

Muitos jovens começam a ter visões de espíritos, sentem a sua presença, ouvem vozes, tem pesadelos, percebem vultos que não passa da manifestação da mediunidade.

Mediunidade é um estado natural, não é doença.

A segunda obra de Kardec, o Livro dos Médiuns, esclarece todos os tipos de mediunidade, como sintonizar com bons Espíritos, evitando os falsos, os perturbadores e até os agressivos.

Os portadores de mediunidade podem ser de qualquer sexo, idade, raça ou crença e tem a finalidade de trazer o progresso moral das criaturas.

Sociedade Espírita Raios de Luz de Tapera