TAPERA – Sicredi Integração Rota das Terras RS realiza Assembleia Extraordinária

A Sicredi Integração Rota das Terras RS realizou na segunda-feira (09), na Afuco, em Tapera, uma Assembleia Geral Extraordinária, com a presença dos coordenadores de núcleo, para deliberar sobre a aprovação do projeto sistêmico de expansão para Minas Gerais. O encontro foi conduzido pelo presidente da instituição financeira cooperativa, Sérgio Luiz Tonello, com apoio dos diretores, Luiz Fernando Scartezini e César Luiz Ritter.

Inicialmente, foi apresentado aos coordenadores o ranking da Central Sicredi Sul / Sudeste para se ter uma ideia de como a cooperativa está em relação as demais filiadas. Em seguida, o presidente mostrou quais cooperativas estão envolvidas no processo de expansão, as etapas do projeto e a região que foi escolhida no estudo técnico pela Sicredi Integração Rota das Terras RS. Após, os associados esclareceram suas dúvidas e aprovaram por unanimidade a ampliação da área de atuação da cooperativa com o ingresso de 29 municípios da região noroeste do Estado de Minas Gerais, conforme projeto sistêmico aprovado pelo Banco Central. Com isso, a cooperativa acrescentou na sua denominação social a sigla do estado mineiro “MG”, ficando Sicredi Integração Rota das Terras RS/MG e ampliou o número de núcleos no Estatuto Social para “até 70”, visando a ampliação do número de associados com a expansão para as cidades mineiras.

Outro assunto deliberado e aprovado pelos coordenadores, foi a autorização para a cooperativa ter movimentações financeiras com as prefeituras municipais, câmeras de vereadores, seus órgãos ou entidades e das empresas por eles controladas, de acordo com a resolução 4.659/2018 do Banco Central do Brasil. O diretor executivo, Luiz Fernando Scartezini, comentou que, a partir deste momento, o Sicredi pode retomar os negócios e a captação de recursos com os municípios. “É uma grande conquista para o Sicredi, pois em muitas cidades somos a única ou a principal instituição financeira. Já somos parceiros dos municípios no Programa A União Faz a Vida e em várias inciativas sociais, e agora poderemos ter, novamente, o relacionamento financeiro. Temos certeza que isso contribuirá, ainda mais, para o desenvolvimento das nossas comunidades”.

Conforme Tonello, essas aprovações e alterações só serão válidas após a homologação do Banco Central do Brasil. O dirigente lembrou que nas assembleias realizadas no início deste ano, os associados autorizaram os coordenadores a debaterem e deliberarem sobre o projeto de expansão. “Cumprimos mais uma etapa deste processo sistêmico que prevê a presença do Sicredi em todos os estados brasileiros até 2025. Com apoio das cooperativas vamos ter um sistema mais forte e unido, difundindo a filosofia do Sicredi e do cooperativismo em todo país. É um novo momento para a nossa cooperativa, onde vislumbramos muitas oportunidades de crescimento e ganhos de escala, mas sempre trabalhando com segurança, planejamento, solidez e profissionalismo”, disse.