Diálogo Espírita – JOVENS

José Francisco Costa Rebouças (Niterói-RJ), pós-graduado em Recursos Humanos, responde em entrevista, á seguinte pergunta:

Muitos jovens se consideram “estranhos”, por não partilhar de atitudes comuns a colegas e amigos, sofrendo pressões das mais variadas para que cedam ao comportamento padrão?

É preciso observar que toda a gama de alucinações, violência e pornografia das deprimentes programações exibidas ou noticiadas pela mídia, passando a ideia de que é dessa forma que se conquistam o respeito, a fama e a felicidade, contribui de forma decisiva para o entendimento equivocado por parte do jovem.

Alguns se sentem “estranhos” por não fazerem parte dessa corrente de pensamento nem aceitarem tal infeliz influência, a grande causa da desorientação moral que afeta a tantos.

Cabe fazer compreensível aos jovens a seriedade e a finalidade da encarnação, transmitindo-lhes de forma simples e sincera os riscos desses procedimentos e esclarecendo-os sobre os perigos dos vícios, dos abusos e das conquistas criminosas que poderão trazer sérias consequências diante da Lei de Causa e Efeito.

Os enganosos ganhos que o materialismo engendra não são os verdadeiros bens que nos podem proporcionar benefícios duradouros.

Sociedade Espírita Raios de Luz de Tapera (RS)