‘CNN’: bilionários gastam fortunas em busca da “vida eterna”; confira

O site da CNN listou cinco bilionários que estão gastando parte da fortuna para impedir o que ainda é considerado inevitável: a morte. Criação de centros de pesquisa sobre “imortalidade” e preservação de corpos a menos de 360ºC são algumas das excentricidades dos bilionários que querem evitar o caminho para a eternidade. Confira:

Dmitry Itskovc
o bilionário russo e magnata da mídia Dmitry Itskov criou um centro de pesquisa com 30 dos principais cientistas com foco em estudos sobre a imortalidade. O presidente de 31 anos de um canal de notícias online na Rússia pediu ajuda a outros bilionários para começar o financiamento do centro de “imortalidade cibernética e corpo artificial.” Seu plano não é pouco ambicioso: transferir a consciência humana para um “avatar” controlado remotamente, ou um cérebro sintético – o que ele vê como o próximo passo na evolução humana.

Don Laughlin
O bilionário de 81 anos, dono de uma rede de cassinos em Las Vegas, nos EUA, será um dos clientes da Alcor no futuro, uma instalação de preservação de corpos a menos de 360ºC até que ele possa voltar à vida e curado de problemas de saúde. Mas nem no futuro ele pensa em abrir mão do conforto. Ele planeja levar seu dinheiro; seus bens também devem ser congelados.

David Murdock
O bilionário quer viver até, pelo menos, os 125 anos. Para que isso aconteça, o empresário que atualmente está com 89 anos segue um regime rigoroso de exercícios e faz uma dieta de vegetais e peixe. Além disso, ele investiu muito do seu dinheiro em pesquisa sobre a longevidade. Ele já gastou milhões de dólares na pesquisa sobre alimentação e nutrição, incluindo a forma como as pessoas devem comer certas plantas para manter sua vida mais longa. Ele criou o Instituto Californiano de Saúde e Longevidade e tem outro projeto com o objetivo de compreender a genética de doenças e providenciar curas.

John Sperling
O bilionário de 91 anos, que tem um patrimônio líquido reportado de US$ 1,2 bilhões, agrupou uma equipe de cientistas para estudar como aliviar o sofrimento humano e o medo da morte. O grupo de pesquisa usa desde a clonagem terapêutica, medicina por meio de células tronco e engenharia genética para melhorar a biologia humana. Ele também financiou um instituto que faz pesquisas clínicas sobre doenças da velhice.

Robert Miller
O bilionário canadense de 67 anos construiu um centro, a Alcor Life Extension Foundation, que usa temperaturas super baixas para preservar o cérebro logo após a morte. Miller considera esse centro um investimento no futuro já que ele planeja ter seu próprio cérebro preservado.

Terra